Expulsão de Pedro Belo: nota de Márcio Jerry…

Agora há pouco, o deputado federal e presidente do PCdoB do Maranhão, Márcio Jerry, enviou a seguinte nota ao editor da página, esclarecendo a expulsão de Pedro Belo do partido:

Nota

“Não há expulsão de presidência. Houve uma decisão política do partido diferente da posição do Pedro na aliança local. Na quinta passada, o partido definiu uma posição de aliança com o PDT encaminhada pelo próprio presidente local Pedro Belo e em sintonia com a direção estadual. Tal posição foi modificada, o que ensejou a decisão partidária, por sua direção estadual e com apenas um voto contrário, de aliança com PCdoB, PSB, Solidariedade e outros partidos tendo o deputado Zito Rolim como candidato a prefeito.”

Expulsão de presidência

Obs: é fato que não há expulsão de presidência, mas a expressão usada na postagem anterior é uma ‘licença poética e política’ que realça o tamanho da força da decisão estadual comunista.

Pasta velha

Como disse um comunista da banda de Caxias, em mensagem também agora há pouco ao editor do site: “O Pedro Belo carregou sozinho esse partido. Brigou com tudo e com todos quando o partido só tinha uma pasta velha.  Nem sovaco pra pasta velha andar tinha…”

PRF se pronuncia sobre morte do subtenente PM Baltazar Carvalho…

Em postagem do inspetor Almeida Neto, chefe da Delegacia PRF Caxias, a Polícia Rodoviária Federal descreve o episódio que resultou na morte do subtenente PM Baltazar Carvalho, 55 anos, do 2º BPM, sediado em Caxias MA… Leia abaixo:

Condutor embriagado se envolve em acidente, saca arma para policiais e é contido com dois disparos.

O incidente ocorreu na Região dos Cocais, leste maranhense. O condutor foi socorrido por uma ambulância do SAMU, mas acabou não resistindo e falecendo no hospital.

Por volta das 20h40min de domingo, 02 de agosto de 2020, no Km 571 da BR-316, na localidade Descanso, entrada para a cidade de Coelho Neto/MA, uma equipe PRF realizava rondas, quando se deparou com um acidente, tipo colisão traseira, envolvendo um caminhão MB/l1620 e uma caminhonete Toyota/ Hilux, cujo condutor apresentava sinais evidentes de embriaguez alcoólica.

Muito alterado, ele se apresentou como policial militar, mas se negava a mostrar identificação, e portava uma pistola da marca Taurus na cintura. Durante vinte e cinco minutos, os policiais tentaram acalmá-lo e convencê-lo a entregar os documentos e a arma. Apesar das diversas tentativas da equipe PRF para que a arma fosse entregue, o condutor continuava desobedecendo.

Logo depois, o condutor afirmou que, se sacasse a arma, atiraria contra os policiais. Em seguida, o condutor, de fato sacou arma e apontou para os policiais, sendo alvejado com dois disparos, a fim de repelir a agressão iminente.

De imediato, os PRFs providenciaram uma equipe de socorro do SAMU, que compareceu ao local e removeu o ferido para o Hospital Geral de Caxias/MA, onde veio a óbito.

A Delegacia PRF em Caxias acompanhou todo o processo. Sendo o caso levado para a delegacia de Polícia Federal naquele município.

Internamente, uma Comissão de Controle e Acompanhamento da Letalidade está acompanhando o caso a fim de apurar se todos os procedimentos foram cumpridos por parte da equipe operacional.

Lamentamos profundamente o falecimento do ST Baltazar.”

PMMA e 2º BPM

Também por meio de nota, o comandante geral da PM-MA e o comandante do 2º BPM lamentaram a morte do subtenente Baltazar:

Nota

“O comandante geral da PMMA, coronel Pedro Ribeiro, o comandante do 2º BPM, Ten Cel Jurandy, oficiais e praças sentem-se consternados pelo falecimento do ST PM Baltazar de Carvalho Araújo. Na oportunidade, seus companheiros de caserna prestam solidariedade e rogam a Deus pelo conforto à família enlutada.”

Nota do amigo Gedeon

Dia 18 de maio foi nosso último contato, nos cumprimentamos, como fazíamos todos os anos, pela passagem de nossos aniversários.

Conheci Zé Gentil ainda jovem, como amigo de meu pai, seu colega vereador em Caxias, de onde partiu para quatro mandatos de deputado estadual, sempre exercendo com desvelo e seriedade.

Deixa um legado de amor a Caxias e uma enorme saudade naqueles que o conheceram ou conviveram com ele.

Que Deus, na sua infinita bondade, o receba e console, principalmente à sua família e aos caxienses.

Dizem os poetas “que a saudade é a certeza de que existe em nossa memória algo que amamos, onde alguém se foi e continua sendo amado. Aquilo que a memória guarda como bom se torna eterno, e a gente só sente saudade daquilo que foi bom” – Jamil Gedeon.