Supermercados aceitarão cartão da ajuda emergencial como meio de pagamento…

Foto: LUCAS TAVARES/ZIMEL PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

As redes Carrefour, BIG (ex-Walmart) e Grupo Pão de Açúcar (Pão de Açúcar, Extra e Assaí Atacadista), além da Super Adega, começarão a aceitar, neste sábado (16/05), o cartão de débito Caixa Elo usado por quem recebeu o auxílio emergencial de R$ 600.

A medida tem como objetivo facilitar o dia a dia de quem está com dificuldades para sacar o dinheiro, reduzindo a necessidade de deslocamento até uma agência da Caixa para sacar os recursos.

A nova modalidade garante que, além do mercado, as pessoas vão poder utilizar o cartão do auxílio emergencial para pagar medicamentos nas unidades de alguns desses supermercados que contam com drogarias.

Como utilizar?

Para utilizar o cartão virtual em uma das lojas físicas das redes, o beneficiário deverá gerar um código diretamente pelo aplicativo Caixa Tem e digitar os dados na maquininha da Cielo, no caixa… Com informações do Metrópoles.

Servidor: veja quais categorias ficaram fora do congelamento de salários…

Em mais uma derrota para o ministro da Economia, Paulo Guedes, a Câmara dos Deputados ampliou as categorias de servidores públicos que ficarão imunes ao congelamento salarial proposto como resposta ao aumento de gastos decorrente do novo coronavírus.

Inicialmente, a ideia era que apenas servidores que atuassem nas linhas de frente do combate à doença, como agentes de saúde e de segurança, ficassem imunes. No entanto, o relator ampliou ainda a medida para policiais legislativos, agentes socioeducativos, técnicos e peritos criminais.

O dispositivo previa a mesma regra também para profissionais de limpeza urbana e assistentes sociais da União, dos estados, do Distrito Federal e dos municípios. No fim da noite, um destaque do PT incluiu servidores da educação pública.

Veja a lista dos funcionários que serão blindados:

Militares das Forças Armadas

Militares de Segurança de Estados

Profissionais da Saúde

Policiais Federais

Policiais Rodoviários Federais

Agentes penitenciários federais

Profissionais da limpeza pública

Assistentes sociais

Guardas municipais

Guardas socioeducativos

Policiais legislativos

Descontentes com a divisão do socorro de R$ 60 bilhões, os deputados também fizeram mudanças na fórmula na repartição do dinheiro. Como houve alteração de mérito, o projeto irá retornar ao Senado para última votação, retardando o repasse do socorro para os locais afetados pelo coronavírus. A alteração foi considerada uma derrota para o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), que queria aumentar o volume de dinheiro enviado ao seu estado.

A equipe econômica defendia a votação do texto sem aumentar a lista de exceções ao congelamento para não reduzir a economia esperada nas três esferas (federal, estadual e municipal), inicialmente prevista em R$ 130 bilhões. A alteração foi interpretada por membros da equipe econômica como uma “rasteira” no ministro Paulo Guedes, cada vez mais desgastado no governo.

Alcolumbre tinha cobrado do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), a aprovação do projeto sem alterações para agilizar o socorro. No início da votação, porém, Maia, que é seu correligionário, criticou a divisão aprovada no Senado, mas ainda assim defendeu a votação sem mudanças – o que não ocorreu.

Divisão dos recursos

Ao todo, o pacote de socorro às cidades será de R$ 120 bilhões. Do total, R$ 60 bi irão a estados e municípios, R$ 10 bi serão aplicados em medidas de saúde e assistência social para o combate à Covid-19, R$ 7 bi para estados e Distrito Federal e R$ 3 bi para os municípios.

Os critérios de distribuição dos R$ 7 bilhões serão: 40% serão divididos de acordo com a taxa de incidência do coronavírus e os 60% restantes irão considerar o tamanho da população. Já para os municípios, o fator populacional será o único critério.

Os R$ 60 bilhões restantes serão divididos: R$ 35 bi para a renegociação de dívidas com a União; R$ 14 bi para a renegociação de dívidas com bancos públicos e R$ 10,6 bilhões para a renegociação de dívidas com órgãos internacionais… Com informações do Metrópoles/THAYNÁ SCHUQUELthayna.schuquel@metropoles.comGABRIELA VINHALgabriela.vinhal@metropoles.com.

Vereadores resistem à ideia de reabrir comércio em Caxias MA e prefeito deve prorrogar decreto de isolamento até dia 5 de maio…

foto ilustrativa…

A reunião na Câmara Municipal entre o prefeito Fábio Gentil (Republicanos) e os vereadores da base governista resultou apenas na prorrogação do decreto de isolamento social até o dia 5 de maio…

Encontro

…O encontro entre o prefeito e os edis aconteceu ontem (28-04-20), no pátio da sede do Legislativo local, e contou com todos os integrantes da base governista…

Grande pressão

…Segundo as fontes da página, o eixo do tema do encontro foi, de fato, a Covid-19, a pressão do empresariado local para reabrir os seus estabelecimentos comerciais e a redução de 30% no salário de secretários municipais, adjuntos e coordenadores…

Dividir a conta

…Como acentuado na postagem anterior (reveja aqui e aqui), Fábio Gentil procurou os vereadores para dividir a conta da redução salarial dos subordinados de primeiro, segundo e terceiro escalão e o desgaste de uma eventual abertura do comércio com a edilidade caxiense…

Prorrogação

…Mas os parlamentares resistiram à ideia e o prefeito decidiu prorrogar o tempo de isolamento social até o dia 5 de maio.

Reunião entre o prefeito de Caxias MA e vereadores governistas para discutir a reabertura do comércio no município…

imagem ilustrativa

Fontes do Legislativo de Caxias disseram agora há pouco ao editor da página que haverá ou já estaria havendo, hoje (28/04/20), uma reunião na Câmara Municipal entre o prefeito Fábio Gentil (Republicanos) e os vereadores da base governista…

Grande pressão

…Segundo as fontes, o eixo do tema do encontro seria a Covid-19 e a grande pressão que o empresariado local está exercendo para que o comércio volte a funcionar normalmente…

Dividir a conta

…Acuado pela classe empresarial, Fábio Gentil teria procurado os vereadores para dividir a conta e o desgaste de uma eventual reabertura do comércio local com a edilidade caxiense…

A responsabilidade

…Ou melhor, jogar a responsabilidade toda para a Câmara Municipal, o que deixaria o governante caxiense de fora da polêmica decisão.

Morre o empresário João Claudino…

Morreu nesta sexta-feira (24), em Teresina PI, o empresário João Claudino Fernandes. Ele tinha 89 anos e estava internado no Hospital de Terapia Intensiva (HTI), no bairro Piçarra, onde lutava contra um câncer.

A pedido da família, o velório do empresário será restrito, devido à pandemia do novo coronavírus. 

O empresário nasceu no Rio Grande do Norte e é um dos fundadores do Grupo Claudino ao lado do irmão Valdecy Claudino. O grupo é um dos maiores varejistas do país, com presença em pelo menos 15 estados.

Os negócios dos irmãos Claudino tiveram início na cidade de Cajazeiras, na Paraíba. Em 1958, eles resolveram se instalar na cidade de Bacabal, no Maranhão. Em uma antiga usina de beneficiamento de arroz, nasceu o Armazém Paraíba, empresa que deu origem ao Grupo Claudino.

Antes de ficar doente, seu João não parava de trabalhar, mesmo tendo os filhos engajados nos negócios da família. 

“Eu trabalho porque eu gosto mesmo. Eu sei que hoje os jovens planejam melhor, mas eu estou aqui, à disposição para quem precisar traçar novos planos, para quem precisar de orientação, tirar dúvidas”, dizia. 

As empresas

A maioria das empresas do Grupo Claudino foi criada para suprir as necessidades do próprio Armazém Paraíba: a Guadalajara, para abastecer a loja de roupas; a Sucesso Publicidade, para comandar o setor de propaganda; a Socimol, para criar os móveis; a Onix S/A, para produzir os colchões; a Halley, para dar conta do material promocional; a Construtora Sucesso, para realizar as obras do grupo; a Colon Equipamentos Rodoviários, para dar suporte ao transporte das mercadorias; a fábrica de bicicletas Houston, hoje a maior da América Latina, abastece o setor de bikes do Paraíba; a Remanso atua com comercialização de soluções integradas de gestão de negócios e o Teresina Shopping tem o Paraíba como sua maior âncora. O Frigotil (frigorífico industrial) e a Gestão Peles e Couros também fazem parte do conglomerado para dar vazão à produção nas fazendas da família. São ao todo 13 empresas… Com informações do Cidade Verde.

Bancos no Brasil demonstram total desprezo à sua clientela mais humilde…

caixa econômica, hoje pela manhã, em caxias-ma…

Nesta pandemia da Covid-19 uma coisa ficou muito óbvia no Brasil: o absoluto desprezo do sistema bancário público e privado do país em relação à sua clientela mais humilde…

Ir à Justiça

…Os governantes tiveram de ir à Justiça para que os bancos fossem obrigados a cumprir as mínimas exigências de apoio às medidas destinadas a evitar aglomerações no entorno e dentro das agências…

Mesmo que nada

…A Justiça acatou o pedido das autoridades, mas foi mesmo que nada porque os bancos fizeram ouvidos de mercador às decisões judiciais…

Velha e desumana

…Ou seja, o sistema bancário brasileiro simplesmente ignorou e continua ignorando decisões judiciais, os apelos das autoridades para que ajam no sentido de organizar filas, disponibilizar produtos de higiene interna e externamente para os clientes ou mesmo repensar a velha, estúpida e desumana maneira de atender à sua clientela mais necessitada.

Ministro Nelson Teich sobre coronavírus: “É preciso entender a doença”…

Em pronunciamento na tarde desta quinta-feira (16/04), no qual foi apresentado pelo presidente Jair Bolsonaro, o novo ministro da Saúde, Nelson Teich, afirmou que não há antagonismo entre saúde e economia. “É preciso entender a doença, saber como ela se comporta, podemos fazer isso com dados, com informação”, afirmou.

O médico, entretanto, sinalizou que não haverá uma mudança de rota imediata na política de distanciamento social e garantiu que as decisões serão tomadas a partir de critérios técnicos e científicos: “Sobre distanciamento social: não vai haver qualquer definição brusca ou radical do que vai acontecer”, afirmou.

Em artigo recente, Teich que é oncologista e foi consultor de grandes redes hospitalares privadas, criticou o antagonismo que saúde e economia adquiriram no debate em torno da estratégia de combate ao novo coronavírus.O oncologista defende um modelo de testagem em massa com acompanhamento contínuo da curva epidemiológica, entretanto, uma das dificuldades que enfrentará é a falta de testes. Os insumos para realizar testagens estão escassos em várias partes do mundo… Com informações do Metrópoles/ÉRICA MONTENEGROerica.montenegro@metropoles.com.

A falta de uma oposição consistente em Caxias não elimina o fato de existir enes problemas sociais na Princesa do Sertão…

imagem ilustrativa…

O silêncio ou a falta de atitude das lideranças de oposição, que têm consciência das mazelas sociais na Princesa do Sertão, não ajuda a esconder o fato de que há demandas locais inadiáveis principalmente nas camadas mais carentes da população da região…

A cooptação

…A cooptação de líderes políticos ou o silêncio conveniente de outros, portanto, não são suficientes para abafar o que a população sente na pele quando o assunto é a busca por tratamento médico na rede municipal de saúde, por exemplo, ou nas deficiências estruturais das vias públicas caxienses, na crise da economia, na ausência de circulação de dinheiro, etc!!!…

problemas urbanos…

É inútil

…Ou seja, é inútil cooptar para que ninguém fale nada, pois os problemas estão à vista de todos, inescondíveis na realidade do cotidiano local!!!