Simplício Araújo esteve hoje em Caxias para ouvir os filiados locais do Solidariedade…


Chefe do partido Solidariedade no Maranhão e secretário de Indústria, Comércio e Energia (Seinc), Simplício Araújo esteve hoje em Caxias para ouvir os filiados locais que são pré-candidatos a vereador no município…

Opção e elogios

…Fontes da página no encontro disseram que ficou clara a opção de Simplício Araújo pela pré-candidatura de Adelmo Soares (PCdoB) e que, além disso, o mandachuva do Solidariedade teceu um rosário de elogios à deputada estadual Cleide Coutinho (PDT)…

Isolar vereadores

…Já quanto às suas pré-candidaturas de vereador, os filiados caxienses reforçaram a decisão deles de não aceitar a filiação na sigla de quem já tem mandato na Câmara Municipal de Caxias e/ou de gente que esbanje recursos financeiros!

Olha só: mais pimenta no caldo preparado para o vice-presidente Hamilton Mourão em Caxias!…

Fonte de Brasília confidenciou, agora há pouco, ao editor do site que Mourão só topou vir a Caxias porque, de qualquer forma, teria de passar na região para tratar do Conselho da Amazônia…

Sua rota

…E aí, como era sua rota mesmo, teria consentido em fazer essa ‘média’ na Princesa do Sertão!

Críticas à concessão do ‘Título de Cidadania Caxiense’ ao vice-presidente da República, Hamilton Mourão…

São muitas as críticas nas redes sociais e em ‘zaps’ ao oportunismo da concessão do ‘Título de Cidadania Caxiense’ ao vice-presidente da República, Hamilton Mourão, neste momento…

Concisa

…Mas a mais concisa e pertinente foi a de Antônio + Velôzo, publicada nos comentários deste site…

Critérios para a outorga

…Vamos a ela: “Com o devido respeito ao
Legislativo Caxiense e à pessoa do homenageado, a meu ver um cidadão de bem, mas entendo que os critérios para outorga de tão valioso título deveria contemplar, no mínimo, efetiva prestação de serviços relevantes à cidade de Caxias. Nada em menoscabo ao homenageado, mas a favor da importância da concessão. Saudações democráticas!”

Confirmado: Hamilton Mourão receberá Título de Cidadania Caxiense no dia 4 de março…

De ordem do Senhor Chefe de Gabinete Adjunto, General Álvaro Wanderley, informo a pré-agenda da participação do Senhor Vice-Presidente da República, Hamilton Mourão, no seguinte evento:

– Nome do evento: Título de Cidadania Caxiense.

– Data: 04/03/2020

– Hora: – Local: Caxias/MA

Presidente da Câmara faz grave denúncia sobre venda ilegal de área do Inhamum para uma empresa de energia…

O presidente da Câmara Municipal de Caxias, vereador Catulé (PRB), denunciou na sessão legislativa de segunda-feira, ontem, que uma parte da Área de Proteção Ambiental do Inhamum foi vendida para uma empresa do ramo de eletrificação, a qual pretende instalar, no espaço de sete hectares, uma subestação de energia elétrica no município.

Conhecimento do caso

Catulé disse que só teve conhecimento do caso porque ele e os demais vereadores da casa passaram a lutar contra o péssimo serviço da Equatorial Energia em Caxias.

“Cientificado de que havia alguma coisa errada no Inhamum, e que envolvia energia elétrica, fui até a reserva e lá constatei que há uma área cercada pela empresa Artcon (do ramo de eletrificação), adquirida por dois milhões de reais de um juiz que passou em Caxias e que, agora, trabalha na capital”.

Problema identificado

Segundo o parlamentar, o problema já havia sido identificado pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente e que, para poder se instalar na área, a empresa precisaria obter uma licença ambiental, a qual foi negada pelo secretário de Meio Ambiente, Pedro Marinho, após cuidadosa avaliação dos servidores do órgão.

Auto de infração

“O secretário Pedro Marinho fez o trabalho correto, eficiente, e não só emitiu um auto de infração contra a empresa Artcon, em 03 de maio de 2018, como também apresentou denúncia ao Ministério Público”.

Participação de assessores

Para Catulé, “o mais impressionante ainda no caso é a participação de assessores jurídicos da Prefeitura. A Artcon recorreu na Justiça local da decisão da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e protocolou uma ação contra a Prefeitura de Caxias. O caso foi parar na 1ª Vara de Justiça de Caxias, que ajuizou uma audiência de conciliação. E esse foi o entendimento mais esquisito que a gente pode imaginar, pois só Deus sabe como o mesmo foi feito. Mas não vamos ficar de mãos atadas, e com o apoio de todos os colegas, tanto da situação como da oposição, vamos a fundo, descobrir essa imoralidade, que só é de conhecimento público agora porque estamos fiscalizando o trabalho da Equatorial Energia”.

Se avistar

O vereador disse que irá se avistar “com o prefeito Fábio Gentil para saber, até que ponto ele tem conhecimento disso, ou se ele autorizou isso, através da sua assessoria jurídica. Nós somos aliados do prefeito, mas não somos subservientes. Eu nunca fui subserviente, e minha vida toda é essa. Estou muito bem com o prefeito, mas não posso ficar calado. Eu acho que assaltaram o Município de Caxias, venderam um pedaço do Inhamum, uma Área de Preservação Ambiental tombada, de onde provém parte da água que todos bebem na cidade de Caxias, sem o conhecimento e o aval do povo de Caxias, que é representado por esta casa”.

Participação da Equatorial

Na avaliação de Catulé, a vinda da Artcon para Caxias teria a participação da Equatorial. “Essas concessões de exploração, via de regra, são autorizadas em nossa região pela Eletronorte, que as repassa para suas concessionárias. E a concessionária da Eletronorte no Maranhão, por coincidência, é a Equatorial, que está obviamente terceirizando o serviço para a Artcon, corroborando para um crime sem proporções em Caxias! Aqui nós temos que convocar a empresa e o assessor jurídico do município, para saber como foi essa transação, se tem dinheiro pelo meio, se tem safadeza pelo meio, porque roubaram o município de Caxias”.

Deputados

Em seu discurso, o vereador ainda endereçou pedido de apoio aos deputados caxienses na Assembleia do Maranhão, acentuando que Cleide Coutinho (PDT), Adelmo Soares (PCdoB) e Zé Gentil (PRB) não podem mais ignorar essa situação da Equatorial em Caxias. Ele citou a postura do deputado estadual Paulo Neto (DEM), que vem fazendo cobrança em favor de melhorias no sistema elétrico do Maranhão, e disse que também confia no trabalho que o deputado federal Paulo Marinho Júnior (PL) fará em Brasília. Leia mais no portal da Câmara de Caxias.

Termômetro político local…

Na primeira sessão legislativa pós-recesso, segunda-feira passada, vereadores da base governista criticaram o governador Flávio Dino em relação ao IML/Caxias, à “falta de envio de recursos para Caxias”, e outros itens.

Nesse entremeio, o presidente da Casa, vereador Catulé, aparteou dizendo: “Desejo que continuemos trilhando no diálogo, sem agressões e, sobretudo, com respeito, como sempre foi nessa legislatura que nós estamos vivendo (…)” E, de fato, não obstante as críticas, ninguém apelou para baixarias. O vereador Edilson Martins fez uma defesa indireta de Dino ao propor que os colegas virassem os olhos para o município, para discutir a cidade, deixando o estado de lado… De qualquer forma, no reinício dos trabalhos já se teve uma noção do que poderá vir por aí, caso os ânimos políticos locais se inflamem mais.

Pois a Câmara Municipal, como o termômetro que é da relação político-partidária local, naturalmente será palco de reverberações do que irá acontecer daqui em diante no campo eleitoral, nas ruas e nas articulações de bastidores que se processam no rumo da eleição de 2020. No caso da sessão de segunda passada, os ânimos só não se acirraram mais porque nem Thais Coutinho, Tevi ou Aureamélia Soares alimentaram a discussão, preferindo os três se abster das colocações dos colegas governistas quanto à gestão estadual… (Publicado na coluna Caxias em Off, Jornal Pequeno de quarta-feira, 05/02/20).

Integrantes da base do governo Fábio Gentil na Câmara Municipal choram miséria pelos cantos!…

Tem algo de estranho acontecendo na base legislativa do governo Fábio Gentil (PRB). Da turma considerada do alto clero, até agora, só quem não está chiando com ‘Cabeludo’ é o presidente da Câmara, Catulé, e o vice-presidente, Antônio Ximenes…

Chorando miséria

…Já os demais, inclusive o secretário da Mesa Diretora da Casa, Mário Assunção, vem chorando ‘miséria’ pelos cantos…

Primeiro-ministro

…Aliás, Mário Assunção se autodenominava ‘primeiro-ministro’ até um tempo atrás, expressão usada pelo vereador para dizer que tinha tudo no governo e também para tirar sarro com outros colegas de parlamento menos afortunados e desafetos em geral, como registrou o blog do Ludwig ainda em fins de dezembro de 2018!…

Estranho

…Mas agora, moço, é uma choradeira só pelos cantos, são soluços nos bastidores, reclamações nas coxias… Estranho, isso!

Mário Assunção insinua haver irregularidades na contratação e na ação de parentes dentro do governo Fábio Gentil…

Já é o segundo texto em que o vereador governista Mário Assunção olha atravessado para a gestão do aliado. O que Assunção não diz no plenário da Câmara, agora, passou a insinuar em sua coluna no Portal Noca

Amacia e generaliza

…Sob o título ‘Parentes: da ascensão à derrota’, o vereador primeiro amacia e generaliza as ações de ‘Cabelulo’, comparando-a a outras passadas no quesito parentada. E só então depois debulha as tais irregularidades na administração pública caxiense…

Negócios obscuros, desvio de verba?

…Diz Mário Assunção no texto: “O grande problema é quando a parentada começa a utilizar seus cargos, os recursos públicos para realização de negócios obscuros e, ao arrepio da lei, praticar crimes, desde favorecimento ilícito a desvio de verba. Dessa forma, o gestor sente-se incapaz de demitir o parente para não manchar o nome da família. No torrão caxiense existem vários exemplos: quem nunca ouviu falar da ‘Família Metralha’? Ou do ‘Forasteiro Fanfarrão’? Tem o ‘Primo Agiota’, e assim sucessivamente”.

O que interessa

…E aí o parlamentar entra no que realmente lhe interessa: “Outro problema é quando a parentada começa a achar o espaço do Executivo pequeno e pensa em aumentar seus tentáculos nos legislativos Municipal e Estadual. Assim, acaba-se com as chances dos parceiros políticos do gestor do Executivo de crescer politicamente, condena seus correligionários à atrofia política precoce, a não passar de vereador”.

O tom da edilidade governista caxiense na volta do recesso: lenha em cima de Flávio Dino…

Nos releases oficiais nada consta sobre o embate ocorrido na sessão da Câmara de ontem, a primeira após o fim do recesso parlamentar…

Fala de Catulé

…No máximo, cita-se a fala do presidente da Casa, vereador Catulé, dizendo: “Desejo que continuemos trilhando no diálogo, sem agressões e, sobretudo, com respeito, como sempre foi nessa legislatura que nós estamos vivendo (…)”…

Objetivo

…Mas em plenário integrantes da tropa de choque palaciana partiram para cima de Flávio Dino. Desceram a ripa no governador, decerto que sem agressões verbais, mas com nítido objetivo de cutucar a gestão do comunista…

Chamou a atenção

…Agora, curioso, quem terminou defendendo Dino foi o vereador Edilson Martins, que chamou a atenção dos colegas sobre a necessidade de se discutir ali, na verdade, os problemas do município, e não tergiversar sobre a administração estadual!…

Sem reação

…Os demais membros da dita oposição, como Thais Coutinho, Aureamélia Soares e Tevi, porém, não esboçaram reação!

Esquentou a pré-campanha…

Esquentou a pré-campanha eleitoral em Caxias. Principalmente no ambiente virtual da região, os ânimos se acirraram e governistas e oposicionistas entraram em confronto aberto. E são ataques duros. Ambos os lados não economizam munição contra as trincheiras opostas. O que confirma a tradição política na Princesa do Sertão.

Se antes o cenário era acanhado e o governo seguia tranquilo, sem adversários, essa perspectiva foi alterada abruptamente desde a oficialização do acordo Adelmo Soares & Coutinho. Mas, para além disso, outros segmentos independentes locais, como o Sindicato dos Servidores Públicos de Caxias (Sintrap), agora também se manifestam tentando emplacar suas reivindicações. No próprio ninho governista, os vereadores aliados tiveram uma reunião com o prefeito Fábio Gentil e lá puseram à mesa suas demandas.

Na verdade, apesar da quietude que se via antes, era previsível que no começo do ano houvesse uma agitação diferente em Caxias, puxada inclusive pela própria conjuntura eleitoral e pela necessidade de os agentes políticos locais se mostrarem na vitrine popular. O exemplo da vereança é, assim, típico da época de disputa municipal. Na sua totalidade, os edis querem se reeleger e para isso precisam aparecer e mostrar serviço aos eleitores. Afora naturalmente a grande concorrência que virá no encalço deles. Como já registrado aqui, este ano o número de aspirantes a uma vaga no Parlamento caxiense deverá bater os recordes históricos anteriores, inclusive na presença feminina nos palanques (Coluna Caxias em Off/Jornal Pequeno/Edição de Domingo, 02 de fevereiro de 2020).