Governo de Timon MA decreta lockdown por quatro dias na cidade…

Timon MA já registra 2.025 casos confirmados de Covid-19 e 64 mortes. O Maranhão é o quinto estado com mais casos da doença no país, e o governo local afirma que está havendo uma visível interiorização da doença. As medidas valerão de 02, 03, 04 a 05 de julho. 


Frear a covid-19

Para tentar frear a expansão da covid-19, Luciano Leitoa assinou o decreto com as medidas mais rígidas na segunda-feira (29/06). Diz o gestor timonense: “Nossa taxa de isolamento social ainda está muito longe do que é recomendado para podermos reabrir comércio e outras atividades. O retorno precisa ser feito com segurança. Neste fim de semana, a Prefeitura de Teresina fechou as principais atividades e a medida deverá acontecer também nesta semana, sendo assim, as medidas entrarão em vigor nas duas cidades. Estamos obedecendo também a uma recomendação do Ministério Público, para que os atos restritivos aconteçam por igual. O esforço precisa ser coletivo, de toda a população”.

Dias 02 e 03 de julho poderão funcionar: 

Mercados, supermercados, hipermercados, congêneres e padarias.

Borracharias, serviços bancários exclusivamente para pagamento de auxílio emergencial e benefícios sociais e autoatendimento, casas lotéricas, oficinas, para serviços de manutenção e conserto de veículo.

Farmácias e drogarias, serviços de saúde, atividades de distribuição e comercialização de combustíveis, biocombustíveis, gás liquefeito de petróleo e demais derivados de petróleo, serviços de delivery, serviços de segurança e vigilância, serviços de transporte de cargas.

Órgãos e profissionais de comunicação, comércio de materiais de construção, ferragens, ferramentas, material elétrico, cimento, tintas, vernizes e materiais para pintura, mármores, granitos e pedras de revestimento, vidros, espelhos e vitrais, madeira e artefatos, materiais hidráulicos, cal, areia, pedra britada, tijolos e telhas.

Dias 04 e 05 de julho

Terão autorização para funcionar apenas farmácias, drogarias e serviços de saúde; serviços de delivery exclusivamente para alimentação; órgãos e profissionais de comunicação.

Fechados

Todos os demais segmentos deverão permanecer fechados.