Crianças atendidas no Hospital Infantil agora seriam levadas à UPA?…

A informação nos bastidores é a de que as crianças que hoje são atendidas no Hospital Infantil teriam que ser levadas agora à UPA, a partir de segunda-feira. A decisão seria do secretário de Saúde de Caxias MA, Carlos Alberto Martins de Sousa.

Não concordam

Ainda segundo as fontes do site, nem a direção do Hospital Infantil nem a direção da UPA concordariam com a decisão… Haveria muitas discordâncias internas.

Decisão esdrúxula

Além de temerária, dada a pandemia de covid-19, essa seria mesmo uma deliberação esdrúxula, fora dos padrões médicos e mesmo incompreensível, caso venha a se confirmar.

Anúncio

Mas até agora não houve por parte do governo qualquer anúncio oficial sobre a referida mudança de local de atendimento às crianças.

O terço de férias dos agentes comunitários de Saúde…

Agentes comunitários de Saúde reclamam que desde maio o prefeito de Caxias MA, Fábio Gentil (PRB), não paga o terço de férias da categoria.

Desde maio

De acordo com os agentes comunitários: “Já teve colegas que gozaram as suas férias e já voltaram a trabalhar e nunca receberam um centavo até hoje, são mais de 90 Acs que estão sem receber seus terços de férias e o prefeito fazendo motocada e carreata na cidade. Moto e carro não votam, mas os Acs e suas famílias votam!”

O estranho sumiço do secretário de Saúde…

posse

Um detalhe que intriga e chama a atenção na questão da saúde de Caxias MA é o sumiço do secretário municipal Carlos Alberto Martins de Sousa.

Tratamento de choque

O engenheiro eletricista, prometido na época como a pessoa que daria um tratamento de choque no setor da Saúde local, só apareceu em foto ou deu declaração no dia da sua posse, em junho passado: reveja aqui… Depois disso, sumiu do mapa municipal.

Nem uma palavra

Nem nos piores momentos das muitas infecções e mortes por coronavírus na cidade Carlos Alberto se dignou vir a público dar quaisquer declarações à população caxiense… Nem uma palavra, uma satisfação mínima que fosse.

Pandemia

Algo muito estranho para um gestor de uma pasta tão essencial nestes tempos de pandemia e muito diferente do que fizeram os demais secretários de Saúde no Maranhão e no Brasil em época de covid-19.

ANS suspende reajuste dos planos de saúde…

Devido à pressão do presidente da Câmara Federal, Rodrigo Maia (DEM-RJ), a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) suspendeu o reajuste anual de todos os planos de saúde, coletivos ou individuais, até o fim de 2020.

A ANS tomou a decisão em reunião extraordinária da diretoria colegiada agora à noite (21/8).

Primeira vez

É a primeira vez que a ANS interfere no reajuste dos planos coletivos com mais de 30 usuários, como contratos empresariais. Ficou para depois a discussão sobre se haverá ou não cobrança retroativa pelo tempo de suspensão do reajuste.

Lucros elevados

Na reunião, o presidente substituto da ANS, Rogério Scarabel, disse que, apesar da crise, as operadoras tiveram o melhor resultado financeiro da década, até o segundo trimestre deste ano.

Sempre assim

Na verdade, é sempre assim, as operadoras de planos de saúde acumulam lucros por cima de lucros todos os anos.

China detecta covid-19 em frango do Brasil…

acervo fiocruz/ilustrativo

A China informou que uma amostra de frango congelado importado do Brasil testou positivo para o novo coronavírus. O vírus teria sido detectado na quarta-feira (12), na superfície de um lote de asas de frango durante uma triagem de alimentos congelados em Shenzhen, no sudeste chinês.

Autoridades de saúde do governo local rastrearam e testaram as pessoas que podem ter entrado em contato com o produto, e todos os resultados deram negativos. Segundo o comunicado, todos os produtos em estoque foram lacrados e também tiveram resultados negativos.

Segundo informações do jornal Valor Econômico, o frango foi exportado pela marca Aurora via unidade de Xaxim, Santa Catarina. Embora a empresa não tenha confirmado a informação, fontes contatadas pelo jornal explicaram que a contaminação pode ter ocorrido durante o trajeto ou até mesmo já na China e que o vírus não foi identificado na carne em si, mas na embalagem.

Rastreando

Agora, o governo chinês está rastreando produtos da mesma marca que já foram vendidos, e desinfetaram a área onde as asas de frango contaminadas estavam armazenadas.

A notícia das asas de frango contaminadas chega um dia depois que o coronavírus foi encontrado na embalagem de camarões importados de outro país sul-americano, o Equador, em um restaurante na província de Anhui, leste da China, durante uma inspeção de rotina, de acordo com a emissora estatal chinesa CCTV.

Desde julho, houve sete casos em que o vírus foi detectado nas embalagens de produtos importados em todo o país, que geraram preocupações sobre a segurança dos alimentos.

As autoridades sanitárias chinesas pediram para a população ser cautelosa ao comprar carnes e frutos do mar importados. Nas redes sociais chinesas, usuários pediram a suspensão de todas as importações de alimentos congelados, segundo informações do jornal local The Beijing News.

Em nota, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) informou que ainda não foi notificado oficialmente pelas autoridades chinesas sobre a ocorrência.

Inocuidade

O Mapa também ressaltou a “inocuidade dos produtos produzidos nos estabelecimentos sob Serviço de Inspeção Federal (SIF), visto que obedecem protocolos rígidos para garantir a saúde pública”.

Não há evidência de transmissão via alimentos

A Organização Mundial da Saúde (OMS) e o Centro para Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos Estados Unidos já afirmaram que a possibilidade de contrair o vírus pela comida é baixa.

A OMS afirma que é “altamente improvável que as pessoas contraiam a Covid-19 em alimentos ou embalagens de alimentos”. De acordo com o CDC, o risco de infecção pelo vírus em produtos alimentícios, embalagens de alimentos ou sacolas é “considerado muito baixo”.

Ambas as organizações apontam que o coronavírus se espalha principalmente de pessoa para pessoa através de gotículas respiratórias quando uma pessoa infectada tosse, espirra ou fala.

Embora seja possível pegar Covid-19 tocando em uma superfície ou objeto – incluindo alimentos ou embalagens de alimentos que contenham o vírus – e, em seguida, tocando sua boca, nariz ou olhos, não se acredita que é a principal maneira como o vírus se espalha.

“Não há evidências até o momento de que os vírus que causam doenças respiratórias sejam transmitidos por alimentos ou suas embalagens. O coronavírus não pode se multiplicar nos alimentos; eles precisam de um hospedeiro animal ou humano”, explica a OMS.

Liang Zong, diretor do Departamento de Medicina Respiratória do Hospital da China Ocidental da Universidade de Sichuan, disse que esta situação na China “está relacionada principalmente à grave situação da pandemia no exterior e à contaminação relativamente fácil do processamento de frutos do mar congelados.”

Congelados

Segundo Zong, os produtos de frutos do mar congelados são geralmente armazenados em um ambiente de baixa temperatura. Quanto menor a temperatura do ambiente for, mais tempo o vírus fica armazenado, por isso é mais fácil detectar o novo coronavírus em alimentos congelados ou em suas embalagens, segundo informações do The Beijing News… Com edição, matéria InfoMoney.

Paciente pede socorro na Maternidade Carmosina Coutinho…

Paciente internada na Maternidade Carmosina Coutinho, em Caxias MA, pede socorro através de redes sociais e grupos de Zap.

Texto

O vídeo acima é acompanhado do texto abaixo.

Confira:

“Gente eu me chamo FRANCISCA DAS CHAGAS DE SÁ COUTINHO, estou só, sem acompanhante, internada na Maternidade CARMOSINA COUTINHO desde ontem 10/08/2020 aguardando atendimento médico nessa cama, não explicam a situação, não  me falam nada, ninguém  vem aqui onde eu estou, mandei chamar  a Direção do Hospital não  aparece  também. Meu filho não está na posição de nascimento, estou perdendo muito líquido já faz 07 dias. A Direção muito omissa, disse aos meus familiares que não é médica, não pode fazer nada por mim. Me ajudem pelo amor de Deus, não quero que meu filho morra e nem eu também. As autoridades de Caxias, PREFEITO FÁBIO GENTIL ajude a mim e ao meu filho, eu imploro…🙏🏻”

Vereadores vão convocar secretários de Saúde e Educação…

A informação é que a reunião para tratar da convocação dos secretários aconteceu hoje pela manhã (05/08), na sede do Legislativo, com diversos vereadores.

Convocação

A convocação do secretário de Saúde, Carlos Alberto Martins de Sousa, foi marcada para a próxima segunda-feira (10/08) e a da secretária de Educação, Ana Célia Damasceno, para o dia 17, também uma segunda-feira.

Saúde

No caso da Saúde, a vereança quer a prestação de contas dos recursos já recebidos pela Prefeitura de Caxias para o enfrentamento da pandemia de covid-19, incluindo aí informações sobre o custo da aquisição de um tomógrafo que foi recém-instalado no Hospital Geral do Município e nunca funcionou.

Educação

Em relação à Educação, os edis querem saber sobre a aplicação dos recursos da merenda escolar e também como foram feitos os gastos dos recursos provenientes do Fundeb (Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e Valorização dos Profissionais de Educação).

Dom Pedro Casaldáliga em estado grave…

Bispo emérito da Prelazia de São Félix do Araguaia, Dom Pedro Casaldáliga está internado em um hospital da cidade com insuficiência respiratória.

Segundo as informações, seu estado de saúde é considerado muito delicado e teria havido piora nas últimas horas.

Transferência

A equipe do hospital ainda teria avaliado a possibilidade de transferir o bispo para outro hospital com mais recursos médicos. Mas, como ele estaria muito debilitado, optou-se por mantê-lo na unidade de São Félix.

Dom Pedro Casaldáliga, de 92 anos, também sofre do mal de Parkinson. No ano passado, ele ainda teve tuberculose. O sacerdote luta contra problemas físicos há anos, mas sem se abater espiritualmente.

‘Carta do povo de Deus’

Muito respeitado por suas posições, que deram voz nacional ao enfrentamento da ditadura militar no Brasil, Pedro Casaldáliga é um dos bispos que assinaram na semana passada o documento denominado ‘Carta do povo de Deus’, com duras críticas ao presidente da República, Jair Bolsonaro.

O documento ‘Carta do povo de Deus’ critica a atuação do presidente diante da covid-19 e acusa o governo brasileiro de “omissão, apatia e rechaço pelos mais pobres” no combate à pandemia, além de “incapacidade e inabilidade para enfrentar a crise” no país.

Bispo do povo

Dom Pedro Casaldáliga recebeu o apelido de o ‘bispo do povo’ devido à luta incessante pelos mais necessitados. Nascido Pere Casaldàliga i Pla, em Barcelona (Espanha), veio para cá em 1968 para fundar uma missão em Mato Grosso. Aqui se naturalizou brasileiro, sempre se posicionando como um ferrenho defensor dos direitos humanos e dos cidadãos mais pobres desta nação.

Poeta

Também poeta e um dos maiores divulgadores da ‘Teologia da Libertação’, o bispo foi alvo de cinco processos de expulsão do país.

Renúncia

Em 2005, Dom Pedro, o primeiro prelado de São Félix, pediu a renúncia do governo pastoral e foi sucedido por Dom Frei Leonardo Ulrich Steiner.

Regulamentação da distribuição de vacina contra covid-19…

sede fiocruz

A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) assinou acordo com a biofarmacêutica britânica AstraZeneca, na última sexta-feira (31), que permite transferência de tecnologia entre os laboratórios para produção de 100 milhões de doses da vacina contra a covid-19, desenvolvida pela Universidade de Oxford.

Outras vacinas estão sendo produzidas no mundo, cinco delas na última fase de estudos, quando serão testadas em um número maior de participantes.

Senado

Antes mesmo que uma vacina contra a covid-19 esteja pronta, os senadores já se mobilizam para que ela alcance o maior número possível de cidadãos. No Senado, foram apresentadas duas propostas nesse sentido: uma para que ela seja distribuída de forma justa e outra que obriga os planos de saúde a cobrir seu custo.

O Projeto de Lei (PL 4.023/2020), do senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE), altera a lei sobre as medidas para enfrentamento da emergência de saúde para fixar diretrizes que orientem a distribuição de vacinas contra a covid-19, assegurando que a imunização da população seja conduzida com a priorização dos grupos mais vulneráveis à doença, como idosos, diabéticos e hipertensos, entre outros.

O texto determina que a distribuição de doses de vacina e a transferência de recursos federais para sua aquisição por estados e municípios observarão critérios técnicos, que deverão considerar informações e dados demográficos, epidemiológicos e sanitários, em que se incluem o tamanho da população, o percentual da população imunizada, a participação percentual dos grupos vulneráveis, taxa da população já acometida por covid-19, além de número de casos e óbitos.

Hospitalizações e óbitos

Serão consideradas ainda o número e taxas de hospitalizações e de óbitos por covid-19 e por síndrome respiratória aguda grave, a capacidade instalada da rede de saúde na localidade ou região, e o grau de urbanização e potencial de disseminação da covid-19 na localidade ou região.

O senador observou que haverá uma concorrência interna no Brasil, quando a vacina estiver disponível, em uma disputa entre governos estaduais e municipais, além de entidades privadas. Para Alessandro Vieira, a proposta trará transparência à utilização dos insumos adquiridos com os tributos pagos pelos brasileiros, além de contribuir para que não ocorra o desabastecimento de regiões mais pobres em detrimento de outras mais ricas.

“Essa situação já ocorreu quando os gestores de saúde procuraram comprar respiradores para equipar as unidades de saúde sob sua administração. Por esse motivo, é preciso regulamentar a forma como a distribuição de vacinas contra a covid-19 deve ser feita à população, quando adquirida com recursos públicos federais, principalmente para que os benefícios sanitários não sejam indevidamente sobrepostos por forças e interesses meramente econômicos ou por conveniências e alianças políticas”, realçou.

Cobertura de vacinações

A proposta que torna obrigatória a cobertura de vacinações pelos planos de saúde foi apresentada pela senadora da Kátia Abreu (PP-TO). De acordo com o PL 3.987/2020, a exigência de cobertura contra doenças imunopreveníveis se limita ao período de vigência da emergência de saúde pública declarada pela autoridade sanitária competente.

Ao justificar a proposta, Kátia Abreu lembra que a melhor forma de enfrentamento da covid-19 é a vacinação. Para a senadora, essa fase de criação e teste de vacinas é o momento de o Congresso Nacional antecipar-se à eventual disponibilização da vacina e já tornar obrigatória a sua cobertura pelos planos de saúde.

“A medida vai beneficiar diretamente os 47,1 milhões de brasileiros assistidos pela saúde suplementar, mas trará também benefícios indiretos às operadoras, que evitarão os enormes custos associados ao tratamento de seus beneficiários acometidos pelas formas graves da covid-19. Ademais, propomos uma regra permanente, que prepare o país para epidemias vindouras”, disse a senadora.

Produção da vacina

A negociação entre a Fiocruz e a biofarmacêutica britânica define os parâmetros econômicos e tecnológicos para a produção da vacina da covid-19 e garante a incorporação da tecnologia em Manguinhos, no Rio de Janeiro, unidade da Fiocruz produtora de imunobiológicos. Assim o Brasil poderá produzir a vacina de forma independente. O acordo permitirá, além da incorporação tecnológica dessa vacina, o domínio de uma plataforma para desenvolvimento de vacinas para prevenção de outras doenças, como a malária.

O governo brasileiro prevê um repasse de R$ 522,1 milhões na estrutura de Bio-Manguinhos para ampliar a capacidade nacional de produção de vacinas. Mais R$ 1,3 bilhão são despesas referentes a pagamentos previstos no contrato de encomenda tecnológica. A vacina produzida no Brasil será distribuída pelo Programa Nacional de Imunizações (PNI), do Sistema Único de Saúde (SUS).

MP da vacina

O governo vai editar uma medida provisória destinando R$ 2 bilhões para permitir que a Fiocruz produza a vacina contra covid-19 que está sendo desenvolvida pela Universidade de Oxford. A sugestão foi apresentada pela Comissão Externa da Câmara que acompanha as medidas de combate ao coronavírus, após a visita de quinze deputados da comissão ao Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos, Bio-Manguinhos, na terça-feira (28/07)… Com edição, matéria Agência Senado.