Quem está enganando Paulo Marinho Júnior?…

De manhã, o prefeito Fábio Gentil dá entrevista a um meio de comunicação dizendo que vai apoiar a candidatura do vice-prefeito Paulo Marinho Júnior para deputado federal em 2022, dando a entender que a filha Amanda Gentil seria candidata a deputada estadual.

E, à tarde, a própria Amanda Gentil também dá entrevista a outro meio de comunicação dizendo que é, sim, candidata a deputada federal!

Afinal, então, quem estaria enganando Paulo Marinho Júnior: Fábio Gentil ou Amanda Gentil?

O cidadão Antônio Manoel Velozo…

Estupefato, o juiz e cidadão Antônio Manoel Velozo se manifesta sobre comentário nas redes sociais de outro conterrâneo que critica a intenção de vereadores governistas de legalizar o uso de paredões de som em Caxias, conforme registrado aqui no site… Leia abaixo:

“Odair Carvalho, você tem toda razão. Perfeita sua colocação. Tem assuntos de interesse local bem mais importantes para a cidade do que regularizar “paredões”. Utilizar uma sessão extraordinária da Câmara Municipal para discutir regularização de “ paredões”, além de despender  recursos públicos já tão escassos, revela manifesta e total insensibilidade para o enfrentamento de problemas bem mais urgentes dos nossos munícipes. Um exemplo de relevante interesse público, que deveria ser objeto de imediata discussão pelos edis caxienses e outras instituições locais reside no fato de prédios tradicionais de nossa cidade sofrerem de um processo cruel de ruína, a exemplo do Cassino Caxiense e do Clube Alecrim. Afora os problemas afetos à saúde, segurança pública, fortalecimento da Guarda Municipal, ocupação do espaço urbano, trânsito, comércio ambulante etc. Saudações democráticas”.

Parte do jogo…

Já há por volta de 15 pré-candidatos a deputado federal e estadual só na região. Mas esse número deve aumentar ainda mais no passar dos dias, a julgar pelas manifestações de agentes políticos nos bastidores. É muita gente na parada.

No entanto, essa quantidade de pretendentes na eleição de 2022 segue a lógica da eleição de 2024, quando haverá nova disputa pela Prefeitura de Caxias. Pode-se dizer, sem medo de errar, que todos os pré-candidatos a deputado estadual e federal de agora também sonham em assumir o governo caxiense em 2024. Atente-se, em particular, para os pré-candidatos governistas de agora, pois eles também farão parte do jogo que será jogado em 2024. Sim, porque do jogo do pleito de 2024, claro, dependerá o pleito de 2022.

Aliás, não por acaso também já se especula sobre quem poderia ser indicado pelo prefeito Fábio Gentil para substituí-lo na disputa pela chefia do Executivo em 2024. As conversas sobre isso têm vazado das coxias e quase sempre vão na direção ou da filha Amanda Gentil ou de outro familiar (Editorial da coluna Caxias em Off da edição do Jornal Pequeno de quarta-feira, 26/08).

Engrossou a fila: Tinoco também é pré-candidato…

O ex-prefeito de Aldeias Altas Benedito Tinoco também é pré-candidato a deputado estadual.

O que se ouve nos bastidores do poder é que o prefeito Fábio Gentil não tem dado bola ao projeto de seu meio-irmão, mas Tinoco vem espalhando nas rodas políticas que é candidato, sim, e que vai para a guerra com sangue no olho.

Dentro do grupo Gentil já há vários pretendentes a estadual, dentre eles, inclusive, o presidente da Câmara, Teódulo Aragão.

Outros escafandristas eleitorais…

O ex-presidente do PT caxiense Ney Jefferson, o professor José Arimatéa e o advogado petista Chico Sousa também vão à luta por votos na raia federal em 2022… Eles são os mais novos escafandristas eleitorais da região.

Os três confirmaram a decisão ao editor do site e dizem que cairão na batalha com toda a garra possível na tentativa de conquistar uma cadeira em Brasília.

Além deles, como já registrado aqui, também já se posicionam com essa intenção o ex-vice-prefeito Júnior Martins (federal), o professor Arnaldo Rodrigues (federal), o empresário Constantino Castro (federal), o vice-prefeito Paulo Marinho Júnior (federal), Amanda Gentil (federal), o vereador Daniel Barros (federal), Catulé Júnior (estadual), o deputado Adelmo Soares (reeleição) e Cláudia Coutinho (estadual).

Pequeno horizonte…

O último líder político caxiense a ter participação expressiva numa eleição estadual no Maranhão foi Humberto Coutinho. Depois dele, todos os demais foram atores coadjuvantes no processo.

A disputa de 2022 já está começando e não se vislumbra ninguém com cacife eleitoral para se posicionar na mesma com destaque. Mas os sinais da decadência regional se mostram dentro do próprio município. A cidade está inerte, amorfa, quando o assunto é política. Nem o prefeito Fábio Gentil, inconteste na superioridade aos adversários locais, nem outra figura local se destaca para além dos baixos muros da região. 

Não há hoje ninguém capaz de criar uma agitação política de peso dentro e fora dos limites territoriais da Princesa do Sertão. O atual conjunto político caxiense só tem mesmo uma mínima expressividade tupiniquim, que serve apenas ao consumo interno de suas limitações. Assim, dessa maneira, como imaginar que em 2022 alguém de Caxias terá participação de destaque no pleito estadual?…

Olhando-se o passado da cidade, tempo no qual sobravam lideranças que faziam a diferença no centro do poder em São Luís, hoje o nosso horizonte é pequeno e quase sem possibilidades. Grande pena (Editorial da coluna Caxias em Off da edição de sexta-feira passada (20/08) do Jornal Pequeno).

O jantar de Lula com o clã Sarney e Edison Lobão…

Foto: Ricardo Stuckert

O ex-presidente Lula reuniu os principais integrantes do clã Sarney num jantar na quinta-feira (19/8) na residência do também ex-presidente José Sarney. Estiveram no encontro a ex-governadora Roseana Sarney e os ex-senadores Edison Lobão e João Alberto Souza, todos do MDB.

Presentes no encontro relataram que os emedebistas manifestaram simpatia à candidatura de Lula à Presidência em 2022. Segundo relatos, Roseana disse que Lula seria melhor do que Jair Bolsonaro para as forças conservadoras e do mercado. “Nós te conhecemos”, afirmou ela.

Lula também esteve com o senador Weverton Rocha, candidato ao governo do estado pelo PDT, de Ciro Gomes. O petista tenta montar uma equação no Maranhão que inclua Rocha, o atual governador Flávio Dino (PSB) e Roseana.

Restam dois obstáculos: a oposição entre os Sarney e Dino, e o atual governador querer um candidato para chamar de seu, de preferência oriundo de seu governo, que portanto não seria Weverton Rocha… (Fonte: Edoardo Ghirotto/Coluna Guilherme Amado/Metrópoles).

Os pré-candidatos a estadual e federal em Caxias MA…

Ex-candidatos a prefeito em 2020 em Caxias querem sair candidatos a deputado estadual ou a federal em 2022.

Já se posicionam com essa intenção o ex-vice-prefeito Júnior Martins, Arnaldo Rodrigues e Constantino Castro (Tino Castro).

Além deles, já estão nas respectivas raias eleitorais o vice-prefeito Paulo Marinho Júnior (federal), Amanda Gentil (federal), o vereador Daniel Barros (federal), Catulé Júnior (estadual), o deputado Adelmo Soares (reeleição) e Cláudia Coutinho (representando o grupo Coutinho para a Assembleia).

Os últimos citados acima, com certeza, já são pré-candidatos… Os demais, por enquanto, estudam suas possibilidades de conquistar uma cadeira ou na Assembleia ou na Câmara Federal.

Aos poucos, Cleide Coutinho vai passando o bastão para Cláudia Coutinho…

Aos poucos, a deputada Cleide Coutinho vai passando o bastão do grupo Coutinho para as mãos da primeira-dama de Matões MA, Cláudia Coutinho.

Em suas andanças pelos municípios onde os Coutinho cultivaram aliados por anos a fio, as presenças do prefeito de Matões, Ferdinando Coutinho, e de sua mulher, Cláudia Coutinho, têm sido constantes ao lado de Cleide Coutinho.

Dessa forma, imagina-se que o anúncio oficial da saída definitiva da política de CC não deve demorar, pois todos os movimentos da parlamentar maranhense já apontam para isso.

Passagem por Caxias…

A passagem do secretário estadual de Educação, Felipe Camarão, por Caxias, no sábado e domingo, produziu muita conversa nos bastidores políticos locais. Curioso que uma parte do PT caxiense foi irônica quanto à possibilidade de Camarão sair candidato ou a vice-governador ou mesmo a governador. Para essa ala do PT, o secretário tem de sair candidato só a deputado federal, e ponto final.

É que a banda do PT local contrária a outras pré-candidaturas de Camarão (vice ou governador) já estaria fechada com a pré-candidatura ao governo do Maranhão do senador Weverton Rocha (PDT). Ou seja, Felipe Camarão, caso queira mesmo levar adiante o projeto de se lançar candidato a governador, terá de lutar internamente para vencer antes os petistas simpáticos a Weverton Rocha.

Porém, não há nada de extraordinário nessa desavença interna do PT, pois estranho mesmo seria ver os filiados à sigla em completa harmonia quando o assunto é eleição.

Assim, desde já, antes de uma eventual campanha para tentar comandar o Palácio dos Leões, Felipe Camarão precisará vencer a turma correligionária contrária ao seu projeto maior… Ou então dar o braço a torcer e contentar-se em concorrer apenas na raia da Câmara Federal (editorial da coluna Caxias em Off, da edição de quarta-feira (18/08) do Jornal Pequeno).