Caxias registra mais uma morte: agora são 4.604 infectados e 111 óbitos…

No boletim de agora há pouco (28/9), Caxias MA registra 4.604 infectados e 111 óbitos por covid-19 na região. Foram mais 16 novos casos e uma morte em 24 horas.

Recuperadas

De acordo ainda com o boletim oficial, o número de pessoas que se recuperaram chega a 4.142.

Por que é tão difícil o governo ser transparente na pandemia?…

No boletim de ontem (26/9), Caxias MA registrou 4.566 infectados e 110 óbitos por covid-19 na região… Mais uma morte contabilizada no município pelo coronavírus.

Recuperadas

De acordo ainda com o boletim oficial, o número de pessoas que se recuperaram chega a 4.120… Ultimamente, o boletim sai dia sim, dia não.

Boletim

Daí que continua chamando a atenção as reiteradas vezes nas quais a Secretaria Municipal de Saúde de Caxias tem deixado de publicar o boletim oficial do governo nos últimos dias.

Desconfiança

O que aumenta a desconfiança em relação ao que expressa esse mesmo boletim nas vezes em que volta a ser publicado.

Por quê?

Por isso se explica uma constante pergunta que se faz na Princesa do Sertão maranhense: “Por que é tão difícil para o governo Fábio Gentil ser minimamente transparente quando o assunto é a pandemia?”

Estudo aponta que dengue pode fornecer imunidade contra a covid-19…

Phil Noble/Reuters

A exposição à dengue pode fornecer algum nível de imunidade contra a covid-19, de acordo com um estudo liderado por Miguel Nicolelis, cientista brasileiro e professor da Duke Univerdity, nos Estados Unidos.

A pesquisa, publicada na plataforma medRxiv, ainda sem revisão por pares, comparou a distribuição geográfica dos casos de covid-19 com a disseminação da dengue em 2019 e 2020 no Brasil.

Surtos de dengue

Locais com taxas mais baixas de infecção por coronavírus e crescimento mais lento de casos foram os mesmos que sofreram intensos surtos de dengue neste ano ou no último, descobriu Nicolelis.

“Esta descoberta surpreendente levanta a possibilidade intrigante de uma reatividade imunológica cruzada entre os sorotipos de Flavivirus da dengue e o SARS-CoV-2”, afirma o estudo, referindo-se aos anticorpos do vírus da dengue e ao novo coronavírus.

“Se comprovada como correta, essa hipótese pode significar que a infecção por dengue ou a imunização com uma vacina eficaz e segura contra a dengue poderia produzir algum nível de proteção imunológica” contra o coronavírus.

Estudos anteriores

De acordo com Nicolelis, os resultados são particularmente interessantes porque estudos anteriores mostraram que pessoas com anticorpos da dengue no sangue podem apresentar resultados falsamente positivos para anticorpos de covid-19, mesmo que nunca tenham sido infectadas pelo coronavírus.

“Isso indica que há uma interação imunológica entre dois vírus que ninguém poderia esperar, porque os dois vírus são de famílias completamente diferentes”, disse Nicolelis, acrescentando que mais estudos são necessários para comprovar a conexão.

Ele destaca uma correlação significativa entre menor incidência, mortalidade e taxa de crescimento de covid-19 em populações no Brasil onde os níveis de anticorpos para dengue eram mais elevados.

Terceiro lugar

O Brasil tem o terceiro maior número de infecções por coronavírus no mundo, com mais de 4,4 milhões de casos – atrás apenas dos Estados Unidos e da Índia.

Em estados como Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Mato Grosso do Sul e Minas Gerais, com alta incidência de dengue no ano passado e no início deste ano, o coronavírus demorou muito mais para atingir um nível de alta transmissão na comunidade em comparação com estados como Amapá, Maranhão e Pará, que tiveram menos casos de dengue.

Relação semelhante

Os pesquisadores também encontraram uma relação semelhante entre surtos de dengue e uma propagação mais lenta do vírus em outras partes da América Latina, na Ásia e nas ilhas dos oceanos Pacífico e Índico.

Nicolelis contou que sua equipe se deparou com essa descoberta por acidente, durante um estudo sobre a disseminação do coronavírus no Brasil, no qual constatou que as rodovias tiveram um papel importante na distribuição dos casos pelo país.

Possíveis explicações

Depois de identificar alguns pontos sem casos no mapa, a equipe foi em busca de possíveis explicações. Um grande avanço ocorreu ao comparar a disseminação da dengue com a do coronavírus. “Foi um choque. Foi um acidente total”, disse Nicolelis.

“Na ciência, isso acontece, você está atirando em uma coisa e acerta um alvo que nunca imaginou que acertaria.”… Com edição, matéria Reuters/R7.

As novas mortes revelam que a covid-19 continua onipresente no município…

O aumento no número de infectados e mortes por covid-19 em Caxias MA não deixa dúvida sobre a onipresença do vírus no município.

Falsa impressão

Após a falsa impressão de que estaria havendo uma estabilização nos casos e nos óbitos, eis que o boletim oficial de hoje traz a notícia de mais três mortes pela doença em 24 horas.

As normas

Pior, as aglomerações políticas só tendem a aumentar daqui para frente. À exceção de apenas um ou dois partidos, todos os demais esqueceram as normas de isolamento social em suas convenções, numa clara demonstração de que não estão nem aí para esse vírus avassalador.

Mais 3 mortes por covid-19 em Caxias: agora são 109 óbitos…

No boletim de hoje (18/9), Caxias MA registra 4.463 infectados e 109 óbitos por covid-19 na região.

Mortes e infectados

Após uma relativa estabilização, o número de mortes volta a subir no município. Agora foram mais 3 vítimas do novo coronavírus em 24 horas… E a quantidade de infectados também tem crescido gradativamente.

Recuperadas

De acordo ainda com o boletim oficial, o número de pessoas que se recuperaram chega a 4.022

Governo de Caxias mantém suspensão de aulas presenciais…

A Prefeitura Municipal de Caxias, por meio do Decreto nº 257, de 15 de setembro de 2020, decidiu manter suspensas as aulas presenciais em toda a rede municipal de ensino, em observância à legislação estadual para as demais redes de ensino. O decreto mantém suspensas, até o dia 09 de outubro de 2020, as aulas e atividades educacionais presenciais em todas as instituições de ensino público e privado de nível infantil, fundamental e médio.

 O cumprimento se dá em razão da observância à Lei nº 14.019, de 2 de julho de 2020, que dispõe sobre a obrigatoriedade do uso de máscaras de proteção individual para circulação em espaços públicos e privados acessíveis ao público, em vias públicas e em transportes públicos, sobre a adoção de medidas de assepsia de locais de acesso público, inclusive transportes públicos, e sobre a disponibilização de produtos saneantes aos usuários durante a vigência das medidas para enfrentamento da emergência de saúde pública de importância internacional decorrente da pandemia da covid-19. E, considerando que, por meio da Portaria n° 188, de 03 de fevereiro de 2020, o Ministério da Saúde declarou Emergência em Saúde Pública de Importância Nacional, da covid-19

 As Universidades e as Instituições de Ensino Superior e Técnico devem observar as diretrizes do Decreto Estadual nº 35.897/2020 e da Secretaria Estadual de Educação no Estado do Maranhão ou normas federais e estaduais posteriormente editadas.

 Relativamente às escolas da rede privada de nível superior e técnico, o termo inicial da retomada e o estabelecimento dos protocolos pedagógicos serão definidos nos Colegiados Superiores de cada instituição, em instrumento escrito a ser firmado, em conjunto, pela respectiva instituição de ensino, pelos pais e/ou responsáveis ou, quando maiores de idade, pelos estudantes.

 A retomada das atividades educacionais na rede de ensino de nível superior e técnico será condicionada à criação obrigatória, em cada estabelecimento de ensino, de Comissão de Saúde, que deverá contar com a participação de todos os segmentos da comunidade educacional, nos termos do Decreto Estadual nº 35.897/2020.

Os protocolos pedagógicos de retomada das aulas devem observar, no mínimo:

 I – o retorno gradativo das aulas com a realização de atividades remotas até a conclusão do ano letivo 2020, sendo adotado progressivamente o ensino híbrido.

 II – distribuição de materiais de higiene e desinfecção para os estudantes, professores e demais funcionários, no mínimo:

a) Máscaras de proteção, confeccionadas com tecido duplo ou triplo.

b) Álcool 70%

c) Copo de uso individual ou descartável.

III – adoção de escalonamento de horário de entrada e saída de turmas, a fim de que seja evitada a aglomeração.

IV – redução do quantitativo de estudantes por turma, considerando a capacidade da sala de aula e respeitada a distância mínima entre estudantes e profissionais de 1,0 m para ambientes com ventilação natural e 1,5m para ambientes com ventilação artificial.

V – demarcações para o distanciamento nas filas das lanchonetes e restaurantes, bem como providenciar a higienização adequada nesses espaços.

VI – desinfecção diária, com produtos adequados ao combate à covid-19, de superfícies e locais utilizados rotineiramente nas instituições de ensino.

VII – aferição da temperatura de todos que estudam ou trabalham no ambiente de ensino.

VIII – os docentes, estudantes e demais profissionais que pertençam a grupos de maior risco, assim compreendidos os idosos, gestantes, cardiopatas, pneumopatas, nefropatas, diabéticos, oncológicos, pessoas submetidas a intervenções cirúrgicas ou tratamento de saúde que provoque diminuição da imunidade e demais imunossuprimidos ficam dispensados de suas respectivas atividades presenciais, podendo realizá-las de forma remota, com vistas a reduzir sua exposição ao vírus, sem qualquer tipo de punição, suspensão de salário ou demissão.

X – os profissionais e estudantes que tiverem contato com pessoas diagnosticadas com covid-19 deverão cumprir quarentena domiciliar de 14 (catorze) dias, independentemente de aparecimento de sintomas, devendo-lhes ser disponibilizada s atividades não presenciais durante o período de afastamento.

Os estabelecimentos de ensino deverão utilizar gradativamente metodologia híbrida, com uso de atividades presenciais e não presenciais, de modo a atender os padrões sanitários estabelecidos.

As regras dispostas neste Decreto poderão ser revistas a qualquer tempo, considerando os registros de infecção por covid-19 no Município, bem como as orientações dos profissionais de saúde (Ascom).