Entrevista de PM…

Confusão das grandes em Caxias depois da entrevista do ex-prefeito Paulo Marinho ao podcast Linha de Frente, apresentado por PH, na sexta-feira passada. Durante a entrevista, o ex-mandatário disse que o vereador Mário Assunção seria o fornecedor de merenda escolar da Prefeitura e que o chefe da Comunicação de Fábio Gentil, Augusto Neto (Guto), seria um incompetente por conta da resposta que o mesmo deu ao caso da merenda escolar estragada e encontrada em um depósito na Avenida Pirajá por integrantes do Sindicato dos Servidores Públicos de Caxias (Sintrap).

Em suas redes sociais, o vereador Mário Assunção e o chefe da Comunicação, Augusto Neto, também responderam duramente a Paulo Marinho. Mas a polêmica continua rendendo na internet, com acusações e defesas de ambos os lados… Assim, o quiproquó conseguiu quebrar a monotonia política que pairava no município.

Por causa disso, também, o prefeito Fábio Gentil reuniu aliados na sexta-feira passada, no espaço Sônia Buffet, para tentar anular os efeitos negativos das últimas horas decorrentes do caso da merenda escolar estragada.

No encontro, vereadores, suplentes e líderes comunitários se revezaram em discursos inflamados e reafirmaram apoio ao prefeito de Caxias e à candidatura de sua filha Amanda Gentil para deputada federal (Editorial da coluna Caxias em Off, publicado na edição de domingo passado do Jornal Pequeno).

Paulo Marinho detona Augusto Neto e ainda chama de ladrão o chefe da Comunicação do governo Fábio Gentil…

Paulo Marinho ‘tava o cão’: hoje ele acionou sua metralhadora giratória para todos os lados no podcast Linha de Frente, apresentado por PH.

Depois de dizer que o vereador Mário Assunção deveria ir para a cadeia, porque ele seria o fornecedor de merenda escolar (confira aqui) para a Prefeitura de Caxias MA, PM também detonou o chefe da Comunicação do prefeito Fábio Gentil, Augusto Neto, tachando-o de incompetente e ladrão!

Veja no vídeo abaixo:

Merenda escolar estragada: governo e vereadores de Caxias se contradizem e tentam negar o óbvio…

Depois de a própria Secretaria Municipal de Educação de Caxias MA emitir nota confirmando as toneladas de merenda escolar estragada (reveja o assunto aqui) e dizer que os fornecedores iriam repor todos os estoques dos produtos com prazo vencido, agora, a Assessoria de Comunicação da Prefeitura e um grupo de vereadores serviçais ao poder vêm a público classificar de fake as matérias publicadas sobre o assunto.

Veja abaixo a nota da Secretaria Municipal de Educação de Caxias:

Seria mais digno da parte do governo se o mesmo tivesse apenas assumido a culpa e tentasse remediar o fato indesculpável…

Mas não, a Assessoria de Comunicação do prefeito e vereadores governistas tentaram de forma malandra reverter a situação e o próprio desgaste administrativo chamando de mentirosos os que trouxeram a público o episódio das milhares de crianças que criminosamente ficaram sem merenda escolar em plena pandemia de covid-19, grudando assim ao peso do tempo o que já era um acontecido triste, insensível e vergonhoso na hoje cada vez mais decadente Princesa do Sertão.

Leia mais sobre o assunto clicando aqui.

A Polícia Federal já está no caso da merenda escolar estragada em Caxias…

A Polícia Federal e a Polícia Civil já estão investigando o caso da merenda escolar estragada em Caxias.

Mas, de acordo com as primeiras informações, a PF e a PC encontraram o depósito vazio. A retirada de todos os produtos vencidos e acondicionados no local teria sido feita às pressas, antes da polícia agir.

Entenda o caso e confira mais informações aqui.

Sintrap descobre depósito com muita merenda escolar estragada…

Professores da rede municipal foram conferir uma denúncia sobre merenda escolar estragada e acondicionada em um depósito alugado pela Prefeitura de Caxias MA e ficaram estarrecidos com a quantidade de fardos de alimentos indevidamente estocados no local.

Segundo as denúncias encaminhadas ao Sindicato dos Professores (Sintrap), agora a merenda escolar estragada estaria sendo “usada como alimento para animais”.

Esse mesmo alimento acima, que hoje serviria de ração para animais, deveria ter aplacado a fome de muitas crianças durante a pandemia.

De acordo com o Sintrap, a Prefeitura também pagaria um aluguel de R$ 5 mil mês para o proprietário do referido depósito localizado na Avenida Pirajá, próximo à UPA.