Assunto Mesa Diretora da Câmara só é discutido nos bastidores…

O assunto da disputa pela nova Mesa Diretora da Câmara de Caxias MA só é discutido nos bastidores. Em público, nenhum político toca na história.

A vapor

Mas as articulações estão a vapor… E só se sabe disso pelo vazamento das discussões em encontros muito restritos, principalmente de governistas.

Vários secretários devem dançar no novo governo de Gentil…

A estimativa nos bastidores é a de que vários secretários municipais devem ‘dançar’ no novo governo de Fábio Gentil (Republicanos).

A mudança nas cadeiras da Câmara de Caxias MA e a pressão da enxurrada de aliados por cargos devem forçar ‘Cabeludo’ a fazer remanejamento de funções no secretariado, subsecretariado, coordenarias, chefias, etc, e/ou até mesmo demissões sumárias.

O inimigo sairá do ventre do Palácio da Cidade…

A falta de um inimigo externo leva ao surgimento de um inimigo interno. Sempre foi assim em todas as relações de poder no mundo.

E aqui, como já se viu anteriormente no caso de Fábio Gentil (Republicanos) e outros aliados, que saíram do intestino do grupo Coutinho para combater o grupo Coutinho em Caxias MA, também não será diferente.

Se o que sobrou das oposições não for capaz de enfrentar ‘Cabeludo’, o novo inimigo nascerá do ventre do Palácio da Cidade.

Os sete candidatos de zero voto fazem a festa dos bastidores políticos…

Os sete candidatos ‘zerados’, que não votaram nem neles mesmos, fazem a festa dos bastidores políticos em Caxias MA.

Mas além da turma ‘zerada’, houve mais gente que teve só um voto e outros apenas dois votos.

Confira alguns desses personagens acima: o PCdoB aparece com dois candidatos, o PP, o PSDB, o PL, o PDT, o PSDB e o Republicano com um candidato cada… Com informações do blog do Irmão Inaldo.

TSE já decidiu que candidaturas laranjas levam à cassação da chapa…

O entendimento do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) se deu em 2016, ao analisar um caso específico em Valença do Piauí (PI).

Na época, o entendimento foi o de que nas eleições proporcionais (vereadores, deputados estaduais e federais) cada partido ou coligação deve preencher o mínimo de 30% e o máximo de 70% para candidaturas de cada sexo.

No debate do TSE de então, sobre as eleições municipais de 2016 em Valença do Piauí, ficou comprovada fraude de duas coligações no preenchimento de cota por gênero e, dessa maneira, cinco candidaturas de mulheres à Câmara de vereadores se provaram fictícias.

Oposicionistas vão tentar tocar o barco para frente…

Oposicionistas derrotados em Caxias MA vão tentar um novo começo. A pancada foi dura, mas já era e, agora, é tocar o barco para frente.

Não se tem ainda ideia do que farão os opositores do governo, mas é indiscutível que um recomeço teria de passar pelo ajuntamento de forças, pois se continuarem separados, fracionados, a compressão governista sobre eles apenas aumentará, chegando ao ponto de total asfixia.

“Au revoir!…”

A acachapante vitória de Fábio Gentil (Republicanos) ainda ecoa no município. As oposições em Caxias restaram diminuídas e humilhadas. Em particular para Adelmo Soares (PCdoB), que além de receber uma ínfima quantidade de votos também viu a mulher Aureamélia Soares (PCdoB) derrotada na disputa por uma das vagas da Câmara.

Mas também foi uma eleição icônica a de Caxias, que reproduziu, na prática, o esfacelamento do grupo Coutinho. A dispersão dos antigos aliados dos ex-gestores caxienses facilitou ainda mais a reeleição de Gentil, naturalmente, mas, acima de tudo, mostrou que política se faz com racionalidade e não com improvisos e alternativas de última hora.

Ainda não dá para analisar todas as consequências disso na política local. No entanto, é indiscutível o tamanho da força eleitoral expressa pelo prefeito Fábio Gentil, que não apenas se reelegeu como, na prática, aniquilou os adversários. Agora, haja tempo para que surja um novo nome de destaque na labuta política caxiense para se chamar de oposição.

Diga-se na disputa pelo poder municipal, pois a própria deputada Cleide Coutinho (PDT) já deu várias mostras de que não pretende entrar nesse desafio, preferindo continuar atuando no Parlamento estadual… Assim, como diriam os franceses: “Au revoir!…”… (Editorial da coluna Caxias em Off, do Jornal Pequeno de ontem, quarta-feira, 18/11).