Quem está enganando Paulo Marinho Júnior?…

De manhã, o prefeito Fábio Gentil dá entrevista a um meio de comunicação dizendo que vai apoiar a candidatura do vice-prefeito Paulo Marinho Júnior para deputado federal em 2022, dando a entender que a filha Amanda Gentil seria candidata a deputada estadual.

E, à tarde, a própria Amanda Gentil também dá entrevista a outro meio de comunicação dizendo que é, sim, candidata a deputada federal!

Afinal, então, quem estaria enganando Paulo Marinho Júnior: Fábio Gentil ou Amanda Gentil?

Parte do jogo…

Já há por volta de 15 pré-candidatos a deputado federal e estadual só na região. Mas esse número deve aumentar ainda mais no passar dos dias, a julgar pelas manifestações de agentes políticos nos bastidores. É muita gente na parada.

No entanto, essa quantidade de pretendentes na eleição de 2022 segue a lógica da eleição de 2024, quando haverá nova disputa pela Prefeitura de Caxias. Pode-se dizer, sem medo de errar, que todos os pré-candidatos a deputado estadual e federal de agora também sonham em assumir o governo caxiense em 2024. Atente-se, em particular, para os pré-candidatos governistas de agora, pois eles também farão parte do jogo que será jogado em 2024. Sim, porque do jogo do pleito de 2024, claro, dependerá o pleito de 2022.

Aliás, não por acaso também já se especula sobre quem poderia ser indicado pelo prefeito Fábio Gentil para substituí-lo na disputa pela chefia do Executivo em 2024. As conversas sobre isso têm vazado das coxias e quase sempre vão na direção ou da filha Amanda Gentil ou de outro familiar (Editorial da coluna Caxias em Off da edição do Jornal Pequeno de quarta-feira, 26/08).

Engrossou a fila: Tinoco também é pré-candidato…

O ex-prefeito de Aldeias Altas Benedito Tinoco também é pré-candidato a deputado estadual.

O que se ouve nos bastidores do poder é que o prefeito Fábio Gentil não tem dado bola ao projeto de seu meio-irmão, mas Tinoco vem espalhando nas rodas políticas que é candidato, sim, e que vai para a guerra com sangue no olho.

Dentro do grupo Gentil já há vários pretendentes a estadual, dentre eles, inclusive, o presidente da Câmara, Teódulo Aragão.

Outros escafandristas eleitorais…

O ex-presidente do PT caxiense Ney Jefferson, o professor José Arimatéa e o advogado petista Chico Sousa também vão à luta por votos na raia federal em 2022… Eles são os mais novos escafandristas eleitorais da região.

Os três confirmaram a decisão ao editor do site e dizem que cairão na batalha com toda a garra possível na tentativa de conquistar uma cadeira em Brasília.

Além deles, como já registrado aqui, também já se posicionam com essa intenção o ex-vice-prefeito Júnior Martins (federal), o professor Arnaldo Rodrigues (federal), o empresário Constantino Castro (federal), o vice-prefeito Paulo Marinho Júnior (federal), Amanda Gentil (federal), o vereador Daniel Barros (federal), Catulé Júnior (estadual), o deputado Adelmo Soares (reeleição) e Cláudia Coutinho (estadual).

O jantar de Lula com o clã Sarney e Edison Lobão…

Foto: Ricardo Stuckert

O ex-presidente Lula reuniu os principais integrantes do clã Sarney num jantar na quinta-feira (19/8) na residência do também ex-presidente José Sarney. Estiveram no encontro a ex-governadora Roseana Sarney e os ex-senadores Edison Lobão e João Alberto Souza, todos do MDB.

Presentes no encontro relataram que os emedebistas manifestaram simpatia à candidatura de Lula à Presidência em 2022. Segundo relatos, Roseana disse que Lula seria melhor do que Jair Bolsonaro para as forças conservadoras e do mercado. “Nós te conhecemos”, afirmou ela.

Lula também esteve com o senador Weverton Rocha, candidato ao governo do estado pelo PDT, de Ciro Gomes. O petista tenta montar uma equação no Maranhão que inclua Rocha, o atual governador Flávio Dino (PSB) e Roseana.

Restam dois obstáculos: a oposição entre os Sarney e Dino, e o atual governador querer um candidato para chamar de seu, de preferência oriundo de seu governo, que portanto não seria Weverton Rocha… (Fonte: Edoardo Ghirotto/Coluna Guilherme Amado/Metrópoles).

Os pré-candidatos a estadual e federal em Caxias MA…

Ex-candidatos a prefeito em 2020 em Caxias querem sair candidatos a deputado estadual ou a federal em 2022.

Já se posicionam com essa intenção o ex-vice-prefeito Júnior Martins, Arnaldo Rodrigues e Constantino Castro (Tino Castro).

Além deles, já estão nas respectivas raias eleitorais o vice-prefeito Paulo Marinho Júnior (federal), Amanda Gentil (federal), o vereador Daniel Barros (federal), Catulé Júnior (estadual), o deputado Adelmo Soares (reeleição) e Cláudia Coutinho (representando o grupo Coutinho para a Assembleia).

Os últimos citados acima, com certeza, já são pré-candidatos… Os demais, por enquanto, estudam suas possibilidades de conquistar uma cadeira ou na Assembleia ou na Câmara Federal.

Aos poucos, Cleide Coutinho vai passando o bastão para Cláudia Coutinho…

Aos poucos, a deputada Cleide Coutinho vai passando o bastão do grupo Coutinho para as mãos da primeira-dama de Matões MA, Cláudia Coutinho.

Em suas andanças pelos municípios onde os Coutinho cultivaram aliados por anos a fio, as presenças do prefeito de Matões, Ferdinando Coutinho, e de sua mulher, Cláudia Coutinho, têm sido constantes ao lado de Cleide Coutinho.

Dessa forma, imagina-se que o anúncio oficial da saída definitiva da política de CC não deve demorar, pois todos os movimentos da parlamentar maranhense já apontam para isso.

Passagem por Caxias…

A passagem do secretário estadual de Educação, Felipe Camarão, por Caxias, no sábado e domingo, produziu muita conversa nos bastidores políticos locais. Curioso que uma parte do PT caxiense foi irônica quanto à possibilidade de Camarão sair candidato ou a vice-governador ou mesmo a governador. Para essa ala do PT, o secretário tem de sair candidato só a deputado federal, e ponto final.

É que a banda do PT local contrária a outras pré-candidaturas de Camarão (vice ou governador) já estaria fechada com a pré-candidatura ao governo do Maranhão do senador Weverton Rocha (PDT). Ou seja, Felipe Camarão, caso queira mesmo levar adiante o projeto de se lançar candidato a governador, terá de lutar internamente para vencer antes os petistas simpáticos a Weverton Rocha.

Porém, não há nada de extraordinário nessa desavença interna do PT, pois estranho mesmo seria ver os filiados à sigla em completa harmonia quando o assunto é eleição.

Assim, desde já, antes de uma eventual campanha para tentar comandar o Palácio dos Leões, Felipe Camarão precisará vencer a turma correligionária contrária ao seu projeto maior… Ou então dar o braço a torcer e contentar-se em concorrer apenas na raia da Câmara Federal (editorial da coluna Caxias em Off, da edição de quarta-feira (18/08) do Jornal Pequeno).

Pesquisa XP: Lula e Ciro ampliam vantagem sobre Bolsonaro em 2° turno…

Ex-presidente e ex-ministro venceriam com mais de 10 pontos o atual presidente em uma eventual disputa ao Planalto.

(crédito: PT/Reprodução; Agência Brasil/Reprodução; Redes Sociais/Reprodução)

Estado de Minas*

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e o ex-ministro Ciro Gomes (PDT) têm mais de 10 pontos percentuais de vantagem sobre o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) em eventual segundo turno da corrida ao Palácio do Planalto. É o que aponta a pesquisa da XP/Ipespe divulgada nesta terça-feira (17/8). As lideranças do petista e do pedetista em seus respectivos cenários foram ampliadas em relação ao levantamento anterior, de julho.

Segundo o levantamento publicado nesta terça, em hipotético confronto direto, Lula teria 51% das intenções de voto, ante 32% de Bolsonaro. O cenário tem 17% de votos brancos e nulos ou cidadãos que optaram por não responder.

Em um mês, a dianteira do ex-presidente foi ampliada em cinco pontos. Na última pesquisa, Lula vencia por 49% a 35%.

Publicidade

Ciro Gomes, por seu turno, tem vantagem de doze pontos: segundo o estudo XP/Ipespe, o representante do PDT vence Bolsonaro por 44% a 32%, com 24% de abstenções. Em julho, a diferença era de 10 pontos: 43% a 33%.

Bolsonaro também perde para Moro, Doria, Mandetta e Leite

O levantamento também simulou diversos outros cenários de segundo turno. Jair Bolsonaro sofre reveses em todas as hipóteses em que é citado. Contra o ex-juiz Sergio Moro, que foi seu ministro da Justiça e está sem partido, a derrota é por 36% a 30%.

Ante o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), Bolsonaro perde por 37% a 35%.

O tucano cresceu três pontos em um mês. Contra o também tucano Eduardo Leite, que governa o Rio Grande do Sul, o cenário também é apertado, mas o presidente tem 33%, contra 35% do adversário.

O ex-ministro da Saúde e ex-deputado federal Luiz Henrique Mandetta, do DEM, também é citado. Em disputa direta com Bolsonaro, o médico triunfa por 38% a 34%.

Na direção oposta, Lula acumularia vitórias em eventuais confrontos com Ciro, Leite e Moro.

Rejeições

Os cidadãos ouvidos pelos pesquisadores também discorreram sobre a rejeição aos potenciais presidenciáveis. Sessenta e um por cento disseram não votar em Bolsonaro de jeito nenhum, enquanto 45% deles afirmaram não escolher Lula sob hipótese alguma. A pesquisa tem margem de erro de 3,2%. Para dar forma aos dados coletados, foram feitas 1 mil entrevistas, espalhadas por todo o país. Os contatos ocorreram entre os dias 11 e 14 deste mês.