Descaracterização do patrimônio histórico de Caxias…

De um leitor desta página:…

“Ao passar pela Rua Dr. Berredo, bem ali na encruzilhada com a Praça Gonçalves Dias, me deparei com uma obra de reforma e adaptações de um ponto comercial no prédio da Associação Comercial de Caxias, abaixo do Hotel Excelsior.

Mas o que chama a atenção é que estão mexendo na calçada, fazendo uma espécie de rampa para estacionamento, que se estima seja para os clientes do novo estabelecimento que irá se instalar no local.

Esse tipo de obra descaracteriza todo o traçado urbanístico e paisagístico do centro de Caxias. Alô Crea, setor de Patrimônio Histórico, Secretaria de Obra e urbanismo, Ministério Público e entidades afins, é hora de agir!

Já não bastasse a derrubada da caixa-d’água do grupo Coringa, assim como foi embargada a obra da Igreja Presbiteriana do Brasil,  a sociedade caxiense quer uma resposta nos mesmos moldes!”.

A Igreja Presbiteriana e o reverendo Sillas…

Abril, dia 11, ano 1954… Foi a data que o jovem Sillas Marques Serra chegou em Caxias para assumir o pastorado da Igreja Presbiteriana. E aqui ele pregou por 47 anos. Essa lembrança vem agora pela necessidade de se esticar o assunto da descaracterização da centenária Igreja Presbiteriana (fundada em 22/09/1895), na qual tantas vezes se ouviu a pulsante oratória do reverendo e confrade acadêmico.

Pois bem, como se sabe, a reforma da igreja gerou polêmica e revoltou a população e defensores do patrimônio histórico em Caxias durante a semana que encerra.

Duas fotos, uma de antes, com a igreja original, e outra, com o prédio já deformado, comprovam mais uma vez como na Princesa do Sertão há um avançado desmanche da memória histórica e patrimonial. Não por acaso, o Departamento do Patrimônio Histórico, Artístico e Paisagístico do Maranhão entrou no circuito e embargou a reforma… (Reveja postagem aqui).

O embargo extrajudicial aconteceu na quarta-feira passada (10/02), com prazo de 24 horas para que os responsáveis pela obra compareçam à sede do Departamento do Patrimônio em São Luís para tratar da regularização da mesma. Caso os autores da esdrúxula alteração física do prédio não compareçam, o órgão tomará as medidas judiciais cabíveis.

Agora, pior que não obstante a repercussão em redes sociais e na blogosfera, a descaracterização da igreja continua impunemente.