Jair Bolsonaro reconhece vitória de Joe Biden…

Carolina Antunes/PR

O presidente Jair Bolsonaro reconheceu agora há pouco (15/12) a vitória de Joe Biden na eleição presidencial americana.

O reconhecimento se deu durante entrevista à TV Band, no programa Brasil Urgente. Bolsonaro disse que os dois países vão fazer um “trabalho de cada vez mais aproximação”. “Alguns minutos antes de entrar no ar eu já dei um ‘start’ para o nosso ministro [das Relações Exteriores] Ernesto Araújo, para ele fazer essa comunicação nossa, nas redes oficiais do governo. Depois, nas minhas redes particulares. Posso te mandar agora aqui, desligando o telefone, qual foi a mensagem que eu mandei para o presidente Biden. Da minha parte, e da parte dele com toda certeza, o americano é pragmático, nós vamos fazer um trabalho de cada vez mais aproximação”, realçou Jair Bolsonaro.

Bolsonaro muda tom para se descolar de Trump…

AFP/Evaristo Sá

Depois de reiteradas declarações de apoio à reeleição do presidente Donald Trump nos Estados Unidos, o presidente Jair Bolsonaro adotou o tom de derrota do candidato republicano e parece conformado com a provável eleição de Joe Biden à Casa Branca. Mesmo aconselhado por assessores a aguardar a confirmação oficial das urnas para se manifestar, o chefe do Executivo deu a entender que o Palácio do Planalto não deve se opor ao diálogo com o democrata e que pode romper com a linha ideológica que vinha adotando com o governo de Trump.

Ontem, durante cerimônia em Florianópolis, que marcou a formatura de 650 novos agentes da Polícia Rodoviária Federal (PRF), Bolsonaro disse que “Trump não é a pessoa mais importante do mundo”. Ele comentou que “o momento do Brasil ainda é difícil” e que acompanha a política internacional porque “temos nossas preferências, e o que acontece lá fora interessa para cada um de nós aqui dentro”.

“Assim sendo, em certos momentos, somente uma coisa nos encoraja e nos fortalece: é Deus sempre acima de tudo. Eu não sou a pessoa mais importante do Brasil, assim como Trump não é a pessoa mais importante do mundo, como ele bem mesmo disse. A pessoa mais importante é Deus. A humildade tem de se fazer presente entre nós”, afirmou.

Alheio a Trump

Foi a primeira vez, desde a época da sua campanha para o Planalto, que Bolsonaro demonstrou um comportamento alheio a Trump. De 2018 para cá, o presidente se revelou um aliado inquestionável do norte-americano e fez de tudo para a política externa brasileira se acomodar aos ideais conservadores do republicano, marcados, principalmente, por uma postura protecionista que fez os Estados Unidos priorizarem medidas unilaterais. Ao tentar repetir isso, Bolsonaro acabou isolando o Brasil de organismos multilaterais e criando conflitos que mancharam a imagem do país perante a comunidade internacional.

Agora, ciente de que não pode perder o relacionamento institucional com a maior potência do mundo só por causa de uma eventual derrota de Trump, ele tenta sinalizar que está disposto a esquecer o seu principal aliado internacional para iniciar uma conversa com Biden, que, caso eleito, promete fazer de tudo para tirar Bolsonaro da “zona de conforto” que criou com o republicano.

“O principal impacto para a política brasileira, caso Biden vença, é que o presidente Bolsonaro vai ter de realinhar a sua política externa. E esse realinhamento significa dizer que ele não terá mais Trump para ser uma espécie de apoiador e referencial. A vitória do democrata vai gerar a necessidade de Bolsonaro mudar alguns elementos de discurso”, analisou o especialista em relações internacionais Creomar de Souza, fundador da Consultoria Política Dharma.

Descolar do histórico

Para Günther Richter Mros, professor de relações internacionais da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), será importante que Bolsonaro tente se descolar do histórico com Trump para não comprometer as relações governamentais com uma possível administração Biden. “Caso o ‘trumpismo’ continue existindo dentro do governo, a relação do Brasil com os Estados Unidos vai ficar cada vez mais desgastada. Então, Bolsonaro terá de dar cada vez menos voz para a ala ideológica da sua gestão. Será fundamental que ele não alimente as narrativas de Trump, caso contrário, certamente, o governo brasileiro sofrerá reprimendas”, alertou… Com edição, CB.

Como previsto, Brasil chega a mais de 1 milhão de casos e 48.954 mortes…

De acordo com o Conselho Nacional dos Secretários de Saúde (Conass), nesta sexta-feira, o Brasil tem mais de 1 milhão de casos confirmados de coronavírus: 1.032.913 infectados. E agora são 48.954 mortes.

Em 24 horas

Nas últimas 24 horas foram contabilizados 54.771 novos casos e 1.206 óbitos.

Mais atingidos

Os estados com o maior número de atingidos pela Covid-19 são São Paulo, Rio de Janeiro, Ceará, Pará e Maranhão.

Brasil ultrapassa 30 mil mortes por covid-19: total de 31.199…

O Ministério da Saúde informou que o país tem agora 555.383 casos confirmados da doença.

Total

Foram mais 1.262 óbitos nas últimas 24 horas, elevando o número de vítimas para 31.199.

Infectados

O Brasil agora contabiliza 555.383 infectados com o vírus. Apenas nas últimas 24 horas, mais 28.936 pessoas foram detectadas com a infecção.

Recuperadas

O MS também acrescentou que 223.638 pessoas se recuperaram da covid-19.

Números avançam no Brasil: agora são 25.598 óbitos e 411.821 casos de covid-19…

Foram 20.599 novos casos confirmados nas últimas 24 horas, chegando ao total de 411.821 contaminados no país.

Óbitos

Os óbitos chegam a 25.598, com 1.086 apenas nas últimas 24 horas.

Segundo

O Brasil continua como o segundo país mais afetado pelo coronavírus no mundo.

Brasil teve 1.039 óbitos em 24 horas e chega a 391.222 casos de covid-19…

O total de mortes agora é de 24.512 mortes. Foram mais 1.039 óbitos só nas últimas 24 horas e um aumento de 16.324 novos casos de contaminação, somando um total de 391.222 confirmados com coronavírus.

Segundo

O Brasil é o segundo país mais afetado pela covid-19 no mundo.

Começo da semana

De acordo com o MS, os altos números registrados no começo da semana decorreram do acúmulo de notificações feitas aos sábados e domingos.

Brasil: mais 807 mortes em 24 horas. Agora são 23.473 óbitos por coronavírus…

acervo fiocruz

Brasil atinge o total de 374.898 casos confirmados e 23.473 mortes.

Segundo no mundo

Só nas últimas 24 horas foram mais 807 vítimas da doença e 11.687 novos casos de contaminação. O Brasil é o segundo país no mundo mais afetado pela covid-19.

Brasil atinge a faixa de 363.211 casos e 22.666 mortes por covid-19…

Acervo Fiocruz

Só nas últimas 24 horas foram mais 653 novas mortes por covid-19. Somando agora um total de 22.666 os óbitos por coronavírus…

15.813

Os casos confirmados tiveram um aumento de 15.813, atingindo o total de 363.211.

Ontem

Até ontem eram 347.398 casos confirmados e 22.013 mortes de pessoas.