Adelmo Soares envia nota sobre ‘Quando o abraço é sincero…’…

Sobre a postagem ‘Quando o abraço é sincero…’ (Reveja aqui), publicada ontem, o deputado estadual Adelmo Soares enviou a seguinte nota ao editor da página:

Nota de esclarecimento

“Na última sexta-feira, 15 de outubro, participei da inauguração de três importantes equipamentos públicos, em Caxias. A saber, as obras foram viabilizadas através do nosso empenho, junto ao Governo do Estado, desde a concepção dos projetos à conclusão das obras, e não tiveram recursos da prefeitura municipal.

Naquela ocasião, diversas autoridades e lideranças políticas estavam presentes. Entre elas, o atual prefeito de Caxias, o Sr. Fábio Gentil. Em um determinado momento da solenidade, durante discurso do prefeito Fábio Gentil, fui cumprimentado pelo gestor com um abraço, assim como da mesma forma que cumprimentei os demais presentes.

Deixo claro que o abraço não representa nenhuma aliança política. Foi apenas um gesto de respeito e civilidade. Continuo a fazer oposição de maneira responsável ao governo municipal de Caxias, por não compartilhar das mesmas ideias e condutas que Sr. Fábio.

Portanto, certo da compreensão de todos, peço que não espalhem notícias falsas sobre uma suposta aliança. Eu e o Sr. Fábio Gentil não somos inimigos, mas seguimos adversários políticos.

Adelmo Soares, Deputado Estadual”.

4 respostas para “Adelmo Soares envia nota sobre ‘Quando o abraço é sincero…’…”

  1. Gostaria que o grito de socorro de parte da sociedade Caxiense fosse ouvido. Saúde, Educação, Moradia, Segurança, Emprego, etc… Estão oferecendo sorteios de dez mil reais para quem tomar segunda dose da vacina. Governador, invista esse dinheiro em algo realmente necessário à sociedade, que seja aplicada políticas públicas voltadas para a necessidade da coletividade Caxiense.

  2. Sobre o abraço, soube que Cabeludo saiu de lá cantando uma música de Ivan Lins: Avisa ao formigueiro, vem aí tamanduá…

  3. As obras apresentadas até agora pelo governo do estado são todas pífias, são obras de projetos de gabinete, sem consulta à população, feita por quem menos entende de meio ambiente, a exemplo da obra do “Parque Ambiental”, construída em madeira cerrada, não se sabe se originada de plano de manejo, ferro, cimento, brita e areia, a parte da arborização toda de flora exótica (mangas, palmeira imperial, grama nipônica.

    1. Concordo em gênero, número e grau, um ambiental desindexado da natureza. Aliás, não projetos de gabinete, já que o CRES referência (a juventude), de tempos 2006, foi apresentado pelo Prof Arimatea. Óbvio, sem apoio do cabismo eleitoral dado o caráter republicano da obra. Agora, uma assertiva, como todas as obras de contribuição do professor nessa cidade são apossadas, desvertebradas pelos poderosos políticos. Só mais umas..

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *