À Justiça, Paulo Marinho nega ser dono da propriedade onde foi construído açude e diz que a mesma pertence ao filho e vice-prefeito Paulo Marinho Júnior…

Sob essa alegação, Paulo Marinho pede a extinção do processo, sem resolução do mérito.

Em resposta à juíza Marcela Lobo, da 3ª Vara Criminal de Caxias MA, que determinou a demolição da barragem (abertura gradual) construída dentro da área do ‘Bosque das Inhumas’, o ex-prefeito Paulo Marinho alega que a propriedade pertenceria ao filho e vice-prefeito de Caxias, Paulo Marinho Júnior, e não a ele, o peticionário alvo da decisão da magistrada. Por isso, pede a extinção do processo, sem resolução do mérito.

No caso, quem denunciou à Justiça a construção da barragem, que seria responsável pelo polêmico alagamento de um trecho da Avenida Carmosina Coutinho (reveja matérias anteriores sobre o caso), foi a Procuradoria do Município de Caxias.

Explicita Paulo Marinho em sua defesa que teria havido “denunciação caluniosa,  vez que instaurar e/ou propor Agente Público ou Administrativo Ação Judicial com acusações falsas contra quem não é parte legitima na demanda ou proprietário da área sob questão configura-se ilícito penal, razão pela qual de logo se pede o encaminhamento de cópia dos autos ao Ministério Público. No caso especifico resta evidenciado também abuso de poder público e político, vez que o Senhor Procurador Geral do Município, e o senhor Prefeito Municipal de Caxias, são cientes, inclusive por conhecerem a área do Bosque das Inhumas”.

Paulo Marinho também acusa a empresa Amorim Coutinho de responsável pelo alagamento e “fluxo de água decorrente da drenagem do Loteamento Cidade Jardim, associado ao aterramento do brejo e do açude que existiam às margens da avenida”.

12 respostas para “À Justiça, Paulo Marinho nega ser dono da propriedade onde foi construído açude e diz que a mesma pertence ao filho e vice-prefeito Paulo Marinho Júnior…”

  1. Paulo Marinho sempre se omitindo de suas responsabilidades, se antes não respondia por seus atos ilícitos, agora que é difícil assumir qualquer que seja o problema na Justiça. Acredito que esse seria um sinal da sua derrota definitiva na política de Caxias, creio que dificilmente seu primogênito, o Vice-Prefeito ainda, não conseguirá se eleger para Deputado Federal, devido às circunstâncias que o momento está se apresentando, por exemplo, a sua concorrente direta, Amanda Gentil, conseguiu apoios políticos em cidades do leste maranhense e possui uma quantidade de votos que daria uma possibilidade de, pelo menos, ganhar uma suplência, e, também, ainda temos que incluir o fato do prefeito mentiroso da cidade ter contatos melhores que os seus, o que garantem mais votos para a filha dele. O fato do barraco envolvendo o seu filho mostra que há uma grande rachadura no teto de vidro de sua família, que dificilmente será reparado.

  2. MP, vamos pedir a escritura desse terreno para ver se tem. Duvido. Tudo na vida dessa Família tem enrolada pelo meio.

  3. Pai versus Filho versus Pai, controvérsia e conversa fiada, nada mais, nada menos para boi cochilar e dormir kkkkk Eita PM picareta, juntando PM e Cabeludo a balança não sai nem do lugar com medo, te manca cara e faz o que a justiça manda…

    1. Certíssimo, PM, o citado no processo não é dono, e agora Justiça? Fazem de tudo para caluniar PM, deixem o homem trabalhar nas suas atividades empresariais, o que os denunciantes querem com isso? O foco é outro, não PM!

  4. Esse Dr. Paulo Marinho é maleta, diariamente se diz dono do Bosque, mas quando a Justiça aperta ele joga a culpa no filho. Coitado, vai pegar um processo criminal que pode lhe deixar inelegível.
    Já queimou o CPF de todos os filhos e irmãos, só faltava esse, agora, que Justiça é essa, se fosse um pequeno já estaria multado e preso. Sem falar na omissão do Sr. Prefeito Municipal, que não tem um pingo de moral e tem medo do seu secretário de Meio ambiente. Que é uma fera quando é para multar um pequeno. E com irmão faz vista grossa. Isso é Caxias!!

    1. Propriedade de imóvel não é firmada pelo fato de A ou B se dizer “dono”. A propriedade é comprovada com documentos. Não demora eu dizer que sou dono da praia do Araçagi pra eu responder processo referente a irregularidades na praia.
      Se (custa crer) a MM. Juíza decidiu na base de o “ouvir dizer”, é algo preocupante. Erro de pessoa… Nulidade absoluta.

      1. Esse Chico Bento não passa do próprio PM. Ou é o advogado do diabo. Caxias velha de muro baixo.

        1. Te pago uma rapadura e um mingau de milho lá no Beco do Gallo se mostrares um erro no que firmei.
          Lembro: “a ignorância é audaciosa”…
          Se…falo se… Condicional. Se a MM. Juíza fez PM réu sem ele deter a posse e o domínio do imóvel, nulidade absoluta. Se… Se…se
          Entendeu, “Brotueja” ???

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *